PUBLICIDADE
Topo

Cidade chinesa prepara milhares de lanternas vermelhas para iluminar Ano Novo

23/01/2019 06h03

Jèssica Martorell.

Tuntou (China), 23 jan (EFE).- Na cidade de Tuntou, no norte da China, os moradores trabalham contra o tempo para preparar de maneira artesanal milhares de lanternas vermelhas que iluminarão as ruas e casas para atrair boa sorte durante o Ano Novo chinês.

Este pequeno povoado de alguns milhares de habitantes, situado na província de Hebei, é conhecido como "a capital das lanternas", já que a maioria de seus residentes se dedica à elaboração manual destes elementos decorativos, uma tradição que passou de geração a geração e que remonta ao século XVIII.

Em uma pequena oficina, dez artesãos preparam os últimos pedidos de lanternas que serão distribuídas por todo o país, que em poucos dias se tingirá de vermelho, a cor que para os chineses representa felicidade, vitalidade, fortuna e coragem, mas sobretudo sorte.

"As lanternas vermelhas são fundamentais para criar um ambiente de festividade e felicidade durante o Ano Novo. As pessoas penduram uma grande variedade delas, grandes e pequenas, durante o Festival da Primavera (como também é conhecida a celebração)", contou Ma Junliang à Agência Efe.

Ma está há 20 anos à frente de uma das muitas oficinas de Tuntou e onde um total de dez pessoas trabalham em um ambiente quase familiar, já que algumas delas se dedicam a este ofício há mais de uma década.

Com o passar dos anos, o processo de produção destas lâmpadas tradicionais - cujos desenhos foram se diversificando até os dias de hoje - foi mudando e já conta com maquinário para ser mais rápido.

Um dos trabalhadores desta oficina, onde são produzidos mais de 1.500 lanternas por dia, se encarrega de montar a estrutura interna metálica, que em suas origens era feita de bambu ou madeira.

Outras funcionárias colocam as telas vermelhas sobre a armação em forma de globo, que posteriormente passa por outras etapas para decorar as mensagens de bons votos, tradicionalmente feitas à mão, mas que agora são impressas em formato padrão, explicou Ma.

Enquanto isso, dezenas de lanternas ficam penduradas no teto durante nove horas até secarem, momento no qual já estão prontas para serem empacotadas e transportadas a todos os cantos do país.

"Nestes dias estamos muito ocupados com as encomendas porque os clientes pedem pressa. Querem as lanternas para antes do Festival da Primavera", afirmou Ma enquanto supervisionava o processo de produção.

Este elemento decorativo se transformou em um dos símbolos por excelência da celebração do Ano Novo - tanto em nível nacional como internacional -, que este ano começa no dia 5 de fevereiro com a chegada do ano do porco, segundo o calendário lunar.

Em meio à superstição que envolve este festejo, os rituais para entrar no Ano Novo com o pé direito começam eliminando o azar do ano anterior - limpando e organizando a casa - e colocando adereços de cor vermelha, como as lanternas, com mensagens de boa sorte.

Acredita-se que pendurar uma lanterna diante da porta afugenta o azar, por isso não é estranho vê-las durante todo o ano decorando árvores, edifícios e casas, e inclusive em celebrações especiais, como casamentos e batismos.

Mas é durante o Ano Novo, a festa mais importante da China, quando condo acontece uma explosão de cor em todos os lares e cidades do país com o brilho destas lâmpadas típicas.

Os moradores de Tuntou se orgulham de serem os criadores destes pequenos adereços que trazem boa sorte aos seus cidadãos, e um museu na cidade lembra este ofício artesanal, que conseguiu resistir às produções em série que tanto caracterizam atualmente a China. EFE