PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Louis C.K. gera polêmica ao zombar de sobreviventes do tiroteio em Parkland

31/12/2018 14h58

Miami, 31 dez (EFE).- O comediante americano Louis C.K., acusado por mulheres de ter se masturbado diante delas, voltou a causar polêmica nesta segunda-feira nos Estados Unidos depois que vazou um áudio no qual zomba dos estudantes que sobreviveram ao tiroteio em uma escola de Parkland (Flórida).

No áudio de 48 minutos, que foi revelado no domingo, o comediante zomba durante um espetáculo humorístico dos alunos da escola de ensino médio Marjory Stoneman Douglas, onde morreram 17 pessoas em fevereiro, assim como dos jovens com identidade sexual neutra.

A gravação foi inicialmente foi publicada no YouTube e posteriormente removido, mas Jack Allison, que diz ser antigo roteirista do apresentador de televisão Jimmy Kimmel, recuperou dois minutos e publicou em sua conta no Twitter.

No trecho é possível ouvir Louis C.K. dizer que os jovens da escola que lideram uma campanha nacional para conseguir um maior controle sobre a venda de armas não são "interessantes" e só discursaram no Congresso dos EUA porque foram a uma "escola de ensino médio onde crianças foram baleadas".

"Por que isso significa que tenho que te escutar? Por que isso te faz interessante? Você não levou um tiro. Você empurrou alguma criança gorda no caminho e agora tenho que te escutar?", disse em referência aos jovens de Parkland, situada ao norte de Miami, onde um ex-aluno, Nikolas Cruz, matou 17 pessoas com um fuzil de assalto.

O comentários de Louis C.K., que segundo o vídeo publicado no YouTube fizeram parte de um espetáculo do comediante no último dia 19, geraram polêmica na internet e o caso é a notícia mais procurada hoje nos EUA, segundo o Google.

Alguns internautas reprovaram a atitude do comediante, como Paige Ream, que disse que "transformar um tiroteio em uma escola em comédia é algo quase impossível e ele fracassa miseravelmente", e Seiji Carpenter, para quem é "asqueroso" ouvir as palavras de Louis C.K.

"A comédia de Louis C.K. é abusiva, assim como a forma como assedia sexualmente as mulheres é abusiva. Zombar das crianças mortas a tiros? Absolutamente não é divertido", disse outro usuário.

Durante o espetáculo, o comediante reconhece que seus comentários poderiam gerar polêmica, mas diz não se importar porque já tem pouco a perder.

"O que vão a fazer, tirar meu aniversário? Minha vida acabou e não me importa", diz em um áudio que o "USA Today" afirma que não pôde confirmar a sua autenticidade, embora seguidores e críticos do comediante o tenham repercutido como real nas redes sociais, onde se debate sobre os limites do humor.

Louis C.K. retornou aos palcos em agosto deste ano, depois que em novembro de 2017 cinco mulheres o acusaram de conduta sexual indevida e detalharam momentos nos quais ele se despiu e se masturbou diante delas.

Louis C.K. era até então um dos artistas mais respeitados na comédia americana, reunia habitualmente dezenas de milhares de pessoas em suas apresentações ao vivo e é o criador da popular série de televisão "Louie". EFE

Entretenimento