PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Obra é roubada de casa de leilões na Áustria e imprensa afirma ser um Renoir

Detalhe da obra de Pierre-Auguste Renoir - Reprodução
Detalhe da obra de Pierre-Auguste Renoir Imagem: Reprodução

28/11/2018 10h53

Um quadro que seria leiloado nesta quarta-feira (28) na casa Dorotheum em Viena, na Áustria, foi roubado por um desconhecido e a emissora pública austríaca ORF informou que se trata de uma obra do pintor impressionista francês Pierre-Auguste Renoir.

"Confirmamos que uma obra de arte foi roubada, mas como há uma investigação policial em curso, não vamos dar mais detalhes a respeito", disse à agência Efe nesta quarta-feira Doris Krumpl, porta-voz da Dorotheum, a casa de leilões mais importante da Europa Central.

Krumpl disse que não pode confirmar nem desmentir se a obra roubada é "Golfe, mer, falaises mertes", assinada por Renoir em 1895, uma paisagem em óleo de 27x40 centímetros avaliada em entre 120 e 160 mil euros, segundo a "ORF".

O quadro fazia parte da sessão de leilões de hoje intitulada "Clássicos do Modernismo" junto com outra tela de Renoir, assim como obras de Pablo Picasso, Henri Rousseau, Giorgio de Chirico, Marc Chagall, Fernando Botero, Emil Nolde, Henri Matisse, Gustav Klimt, Egon Schiele, Alred Kubin, Carl Moll e Roberto Sebastian Matta, entre outros.

Ao dar a notícia ontem à noite, a emissora falou de "um roubo envolto em mistério" e em "um muro de silêncio", porque tanto a casa de leilões como a polícia se negaram a revelar qual foi o objeto roubado.

"Sabe-se que na segunda-feira um desconhecido visitou a casa Dorotheum, retirou uma obra da parede, a colocou debaixo do braço, deixou o edifício com toda calma e desapareceu depois entre os transeuntes no centro de Viena", publicou a ORF em seu site.

Hoje, a emissora assegurou que há um vídeo que documenta o ocorrido, mas Krumpl se recusou a confirmar essa informação.

Para a emissora austríaca, o fato de o quadro mencionado não estar mais sendo anunciado como parte do leilão desta tarde e que também não esteja mais presente no catálogo online é um indício de que é a peça roubada.

Não obstante, a tela de Renoir também não aparece na lista de "pinturas" procuradas pelo Escritório Federal de Polícia da Áustria.
 

Entretenimento