PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

D&G lamenta "infeliz" polêmica na China após cancelamento de desfile

21/11/2018 14h51

Roma, 21 nov (EFE).- Os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana lamentaram nesta quarta-feira o "infeliz" cancelamento de um desfile na China por vídeos publicitários tachados de racistas, mas com os quais, disseram, só queriam homenagear o país asiático.

Os costureiros publicaram uma mensagem no Facebook na qual asseguram que a intenção era realizar um evento que servisse para "homenagear a China e contasse também com a nossa história e visão".

Não tratava-se, explicaram, "simplesmente de um espetáculo de moda, mas algo que criamos especialmente com amor e paixão pela China e todas as pessoas que amam a Dolce & Gabbana no mundo".

"O ocorrido hoje foi muito infeliz não só para nós, mas também para todas as pessoas que trabalharam dia e noite para tornar o evento realidade. Desde o fundo de nossos corações, gostaríamos de expressar gratidão a nossos amigos e convidados", concluíram.

O desfile deveria ocorrer em Xangai, mas foi cancelado depois que várias modelos se negaram a participar, ofendidas pelos supostos comentários de Stefano Gabbana e pela própria publicidade da marca, segundo o jornal chinês "China Daily".

A marca publicou há alguns dias na sua conta da rede social Weibo (similar ao Twitter) vídeos para promover o desfile nos quais uma mulher chinesa aparece tentando comer com hashi comidas italianas.

Muitos espectadores viram o vídeo como um retrato ofensivo do povo chinês e os mesmos foram excluídos rapidamente das contas, embora já tinham gerado milhares de comentários contrários aos estilistas, assim como uma chamada de boicote à marca.

A situação piorou quando foram divulgadas suposta mensagens privadas do Instagram de Stefano Gabbana nos quais falava da China como "um país de merda" e "ignorante".

O estilista desmentiu os mesmos e afirmou que sua conta havia sido hackeada.

Entretenimento