PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Oficina de artista brasileira chega ao Uruguai com mistura esquizofrênica

A artista Danielle Spadotto - Fabiana Beltramin/Folhapress
A artista Danielle Spadotto Imagem: Fabiana Beltramin/Folhapress

27/10/2018 13h41

Manifestações políticas brasileiras como o Ele Não, que se opõe ao candidato presidencial de extrema-direita Jair Bolsonaro, e a antiga prisão na qual foi erguido o Espaço de Arte Contemporânea (EAC) foram a razão pela qual Dani Spadotto, artista e arquiteta brasileira, desembarcou no Uruguai para compartilhar sua "ferramenta".

Essa "ferramenta", que Spadotto desenvolveu há quatro anos, segundo ela mesma disse à Agência Efe, materializa o olhar de uma "menina esquizofrênica" sobre as manifestações políticas e mistura vídeos de sua própria autoria com linguagem corporal para expressar o que "algumas instituições do poder" fazem e, assim, trazer o público para perto de "outra lógica".

"A oficina servirá para incitar as pessoas a criarem suas próprias ferramentas performáticas e usá-las no cotidiano e nas artes", explicou a artista.

Spadotto utiliza a esquizofrenia, doença de transtornos crônicos da qual ela mesma foi diagnosticada há 8 anos, como "princípio poético" e como "ferramenta de criação".

"Alguns vídeos que mostrarei são de uma performance-vídeo minha: Elegia Obsena, que é uma ferramenta que criei para trabalhar com algoritmos", disse Spadotto.

Esses "algoritmos", que são "as manobras das instituições do poder", são exibidos diante do público como "outra forma de ver e ser visto".

"A esquizofrenia é uma forma de criar pensamento, não a entendo como uma patologia, mas como um pensamento que tem outra lógica de pensar e conceber a consciência humana ao utilizar outras sensações para expressá-las", explicou a artista brasileira.

Spadotto se apresentou a uma convocatória do EAC já que os "espaços carcerários" nos quais o museu foi montado atraíram seu "interesse" para desenvolver seu trabalho.

"As prisões foram uma maneira de disciplinar a forma de pensar e sentir do indivíduo", opinou a artista.

Spadotto se apresentou ao público uruguaio na última quinta-feira, ao expor sua última obra "Corpo Fractal" com entrada gratuita no centro de exposições do metrô de Montevidéu.

Entretenimento