PUBLICIDADE
Topo

"Roma", de Alfonso Cuarón, conquista o Leão de Ouro do Festival de Veneza

08/09/2018 15h51

Veneza (Itália), 8 set (EFE).- "Roma", do mexicano Alfonso Cuarón, conquistou neste sábado o Leão de Ouro da 75ª edição do Festival de Veneza e substitui como grande vencedor da mostra seu compatriota Guillermo de el Toro.

"Vamos ver se sei pronunciar corretamente o nome", brincou Del Toro ao anunciar o prêmio a Cuarón.

Visivelmente emocionado, Cuarón recolheu o Leão de Ouro das mãos do presidente da Biennale, Paolo Baratta, para depois abraçar Del Toro.

"Estes prêmios e este festival são incríveis", disse em italiano o diretor, que agradeceu o trabalho de toda a equipe do filme e da Netflix por permitir sua realização.

Além disso, dedicou o prêmio a Yalitza Aparicio, Marina de Tavira e Nancy García, as protagonistas do filme "por sua coragem, sua generosidade e o imenso respeito pelas mulheres que interpretaram".

"Pelas casualidades da vida, hoje é o aniversário de Libo, a personagem na qual está baseada a de Cleo (Aparicio). É seu presente de aniversário", disse Cuarón em inglês, antes de passar ao espanhol.

"Te cantaria 'Parabéns pra você', mas não vou ofender os ouvidos de toda esta gente", disse Cuarón, que quis assim expressar seu "imenso amor".

"A ti, a minha família e a meu país, México. Eu os amo", concluiu Cuarón com todos o público da cerimônia de pé.

Em "Roma" Cuarón narra em preto e branco a história de Cleo, a empregada indígena de uma família burguesa e aparentemente idílica da Cidade do México do início da década de 1970, um personagem baseado na babá que ele mesmo teve e a quem dedica o filme, Libo.

Com esta história, na qual se intercalam o espanhol e a língua mixteca, o diretor de "Gravidade" (2013) oferece um relato social sobre aquela década convulsa.

Para o papel de Cleo o cineasta recorreu a Yalitza Aparicio, uma professora que estreou com esse filme no cinema, da mesma forma que Nancy García, que faz o papel da irmã da babá.