PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Cineasta francês Claude Lanzmann morre aos 92 anos

05/07/2018 07h58

Paris, 5 jul (EFE).- O cineasta, escritor, jornalista e filósofo francês Claude Lanzmann, autor do documentário "Shoah", morreu nesta quinta-feira em Paris aos 92 anos de idade, informou a imprensa francesa.

"Shoah" foi um projeto no qual trabalhou desde 1974 até sua estreia em 1985, com nove horas de testemunhos sobre o Holocausto.

Filho de emigrantes judeus do Leste da Europa, foi membro da resistência na França ocupada pelos nazistas, atuando nas fileiras das Juventudes Comunistas.

Após estudar Literatura e Filosofia, se dedicou primeiro à docência e ao jornalismo, e posteriormente ao cinema.

Lanzmann nasceu em 27 de novembro de 1925 em Bois-Colombes, na região parisiense.

Dedicou toda sua vida à criação artística. Em 1952 entrou como colaborador na revista "Les Temps Modernes", da qual foi diretor, e realizou seus primeiros documentários a partir de 1970.

Em 1995 publicou um livro com a transcrição completa dos testemunhos de "Shoah" e em 2009, sob o nome de "Le Lièvre de Patagonie", lançou sua autobiografia, repassando uma vida na qual foi companheiro da escritora Simone de Beauvoir.

O jornal "Le Monde" lembrou que o então presidente francês, François Mitterrand, quando já estava muito debilitado pelo câncer, o convocou no Palácio do Eliseu uma noite, para perguntar-lhe: "Lanzmann, o que é a morte?". "É um escândalo absoluto, senhor presidente", lhe respondeu Lanzmann.

Entretenimento