Topo

Entretenimento

Adriana Barraza diz que presença latina em Hollywood "já não é uma moda"

Berenice Bautista/AP
A atriz mexicana Adriana Barraza em evento do Platino Awards Imagem: Berenice Bautista/AP

Riviera Maya (México)

28/04/2018 16h33

A atriz mexicana Adriana Barraza, que receberá o Prêmio Platino de Honra, disse neste sábado que a presença de artistas latinos na indústria cinematográfica americana e em seus respectivos prêmios "já não é uma moda".

"É evidente que a indústria de Hollywood precisa se alimentar de outras vozes", afirmou a atriz em entrevista coletiva prévia à cerimônia dos Prêmios Platino do cinema ibero-americano, que acontece amanhã na Riviera Maya.

Adriana lembrou que já se passaram 11 anos desde que foi indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante, pelo filme "Babel", de Alejandro González Iñárritu, e que então já havia mais de uma dúzia de latinos indicados.

Atualmente, os latinos "têm um lugar muito importante" neste âmbito, liderados pelo trio de diretores mexicanos que já ganharam uma estatueta da Academia de Hollywood: Iñárritu ("Birdman" e "O Regresso"), Guillermo del Toro ("A Forma da Água") e Alfonso Cuarón ("Gravidade").

Além de falar sobre seu ponto de vista do mercado cinematográfico, Adriana se mostrou comovida quando foi perguntada sobre o recente desaparecimento e assassinato de três estudantes de cinema do estado de Jalisco.

Neste sentido, reconheceu sentir uma "grande dor", além de "indignação".

"Sinto uma necessidade de pedir às autoridades do México e de outros países que cuidem dos nossos jovens", defendeu Adriana, que exigiu "verdade e justiça".

A atriz fez o mesmo em relação aos casos de abusos sexuais no mundo do cinema recentemente revelados.

O abuso "não tem que existir", e quando ocorre é preciso denunciá-lo, afirmou Adriana, embora tenha reconhecido que em algumas ocasiões isto é um processo doloroso e que pode envergonhar as vítimas.

"Temos que denunciar, é a única maneira de este tipo de coisa tão horrível chegar a uma solução", acrescentou.

Durante o evento também foram entregues os Prêmios Platino do Público e o de melhor cartaz.

O do público para o melhor filme ibero-americano foi para "Uma Mulher Fantástica", que desponta como favorito na cerimônia dos Platino graças às nove indicações que recebeu.

O prêmio foi recebido pela atriz Daniela Vega, que também subiu ao palco para ser premiada com o Platino do público à melhor interpretação feminina.

A chilena disse receber seu prêmio por "todas as atrizes, produtoras e pessoas das diferentes feminilidades" que fizeram parte da filme e o dedicou à "resistência do cinema latino-americano".

"Não há nada mais que salve a vida das pessoas do que a arte, e a arte é amor, sigamos criando", encorajou.

Por outro lado, os espectadores escolheram a Javier Bardem - que não pôde comparecer ao evento - como melhor ator, por sua interpretação de Pablo Escobar em "Amando Pablo".

O prêmio de melhor cartaz foi para "Perfectos Desconocidos", de Álex de la Iglesia, e foi recebido por um de seus protagonistas, Ernesto Alterio, que ressaltou que representar a alma do filme em uma imagem é "toda uma arte".

Os Prêmios Platino, promovidos pela Entidade de Gestão de Direitos dos Produtores Audiovisuais (Egeda) e a Federação Ibero-Americana de Produtores Cinematográficos e Audiovisuais (Fipca), serão entregues amanhã no Teatro Grande Tlachco do parque Xcaret.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento