Topo

Filmes e séries

Arábia Saudita pode voltar a ter salas de cinemas após 40 anos; entenda

Kristina Kokhanova/Getty Images/iStockphoto
Projetor de cinema Imagem: Kristina Kokhanova/Getty Images/iStockphoto

Riade (Arábia Saudita)

01/03/2018 13h07

O Ministério de Cultura da Arábia Saudita aprovou nesta quinta-feira a regulamentação que permitirá dar licenças para a abertura de salas de cinema, que estavam proibidas no reino ultraconservador há quase quatro décadas.

As licenças cobrem a construção de cinema, assim como permissões de exibição e o seu desenvolvimento, conforme detalhou a agência oficial de notícias, "SPA".

"Isso irá estimular o crescimento econômico e a diversificação, criará mais empregos e enriquecerá as opções de entretenimento aqui, na Arábia Saudita, o maior mercado maior da região", disse o ministro de Cultura, Awwad bin  Saleh Al-Awwad.

Conforme dados do órgão saudita, a previsão é que até 2030 Riade tenha mais de 350 cinemas, com mais de 2.500 salas.

"Nossa 'Visão 2030' tem como objetivo um aumento de 2,9% a 6% na despesa das famílias em atividades culturais e recreativas até 2030", disse ele.

Em 12 dezembro, o Fundo de Investimentos Públicos anunciou a assinatura de um memorando de entendimento, não vinculativo, com a companhia AMC Entertainment, a maior provedora e operadora de cinemas no mundo, um dia depois que suspender a proibição sobre a existência dos cinemas vigente desde os anos 80.

A Arábia Saudita iniciou em 2017 uma série de reformas sociais promovidas pelo príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, que envolvem tanto a concessão de direitos para mulheres quanto a promoção do lazer.