Entretenimento

Justiça egípcia reduz pena de prisão de cantora condenada por clipe "imoral"

01/01/2018 14h22

Cairo, 1 jan (EFE).- Um tribunal penal do Cairo reduziu nesta segunda-feira para um ano de prisão a condenação da cantora egípcia Shyma Ahmed, de 22 anos, considerada culpada pelo crime de "incitação à libertinagem", após a publicação de um clipe polêmico da música "Andi Zorof".

A artista, de 22 anos, foi presa no último dia 17 de novembro. Em primeira instância, ela havia sido condenada a dois anos de prisão por comer uma banana durante o vídeo de sua música. A cena foi considerada como uma referência sexual explícita.

Na época da condenação, Shyma disse em sua audiência que não podia imaginar que as imagens criariam tanto "alvoroço".

O clipe da música "Andi Zorof" também gerou polêmica pelas roupas usadas pela cantora, consideradas "imorais" para os padrões da sociedade conservadora egípcia.

Shyma não é a primeira artista perseguida pelas autoridades egípcias pelo conteúdo de seu trabalho ou por suas declarações.

Em maio, uma dançarina de dança do ventre e um cinegrafista foram julgados por "incitação à libertinagem", "mal uso dos veículos de comunicação" e "atentado contra a moral pública" por causa de um vídeo divulgado nas redes sociais.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo