Entretenimento

"Cores do vento" dão nova cara a bairros pobres de Bogotá

15/11/2017 06h00

María Fernanda Padilla.

Bogotá, 15 nov (EFE).- Um misto de cores surge entre o verde das colinas do leste de Bogotá, onde o laranja, o roxo, o amarelo e o azul dão um novo aspecto às fachadas de casas simples como parte de um projeto social que envolve cerca de 4 mil pessoas.

A significativa mudança ocorreu para 600 famílias pobres dos bairros San Dionisio e El Consuelo, que receberam da prefeitura da capital da Colômbia e da Fundação Orbis as tintas e a assessoria para modernizar os locais formando o mural chamado "Los colores del viento" ("As cores do vento", em português), tornando-o visível do centro e do leste da cidade.

"Saímos do limbo para que nos vejam em muitas partes. Saímos da escuridão para o amanhecer e para que Bogotá nos veja, não só daqui, mas de muitos lugares", afirmou à Agência Efe Elizabeth Gutiérrez, uma das moradoras beneficiadas pela iniciativa ao se referir às cores e ao gigantesco mural formado pelas casas que simboliza os fortes ventos comuns nas colinas.

Para completar a grande obra artística, que cobre a maior parte do bairro El Consuelo, os moradores trabalharam com pincéis e rolos durante dois meses - um processo que, segundo eles mesmos, foi feito em união com os vizinhos.

"Primeiro começamos a nos transformar como pessoas, e depois a transformar o nosso bairro com as casas bonitas. Aí começamos as oficinas e a nos vincular", disse à Agência Efe a líder comunitária de El Consuelo, Stella Cante, para quem o projeto também permitiu conhecer melhor o bairro e seus moradores.

Embora Cante tenha falado com orgulho do trabalho em parceria com os vizinhos, reconheceu que "o início foi difícil", mas depois de bater em várias portas, finalmente foi possível unir toda a comunidade.

O enorme mural formado por casas coloridas como uma espécie de mosaico se ampliou para bairros próximos, que se renovaram ao mesmo tempo em que outros vizinhos criaram murais menores.

Os artistas locais desenharam "um coruja para lembrar a inteligência, uma 'Pocahontas' que simboliza a vida das mulheres em um lugar onde ocorreram dois feminicídios, e um indígena em homenagem às comunidades que viveram nessas colinas", explicou Cante.

O grande muro e as restantes obras artísticas são um dos quatro pilares do projeto HabitArte, promovido pel prefeitura de Bogotá e a Fundação Orbis, que também integra a formação em atividades produtivas, a transformação comunitária e a mudança da percepção dos cidadãos sobre o seu entorno através de recursos culturais.

Segundo Cante, este último elemento brinda aos jovens do bairro a oportunidade de se relacionarem a partir da música, da pintura e até em trabalhos de guia dos passeios turísticos para que pessoas de toda a cidade conheçam o projeto.

O diretor-executivo da Fundação Orbis, Miguel Ayala, destacou que o projeto "é um método que se molda de acordo com as condições de cada bairro de Bogotá", para que os habitantes tenham o senso de filiação, da comunidade e se sintam parte da ação.

"Isto repercutiu muito, porque não só transformou casas, mas também a comunidade. As pessoas e os corações também se transformaram", ressaltou Cante, que acrescentou que voltou a ver seu "bairro unido" por uma causa comum, como seu pai lhe contava sobre a vida no local há quase 50 anos.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo