Filmes e séries

Jennifer Lawrence: "O ser humano acha que tem direito a tudo"

Enrique Rubio

Paris (FRA)

29/09/2017 11h06

Assim como a personagem que interpreta em "Mãe!", a atriz americana Jennifer Lawrence percebeu, através da fama, o quão incessável é o ser humano e que, muitas vezes, ele "acha que tem direito a tudo".

Em "Mãe!" desfilam Caim e Abel, o "O Anjo Exterminador", de Luis Buñuel, e uma série de alegorias e metáforas que seria possível escrever um livro.

O filme do também americano Darren Aronofsky, de 48 anos, provocou reações muito variadas. Tem quem considere o longa a obra-prima do diretor e quem a classifique como a pior filme do século, mas isso Lawrence já imaginava.

"Esperava que fosse polarizadora, controversa, porque é uma agressão. É o filme mais visceral que existe. Algumas pessoas não querem ver e nem sentir isso, então estávamos preparados para que algumas pessoas odiassem", diz ela, em entrevista à Agência Efe em Paris.

Para a jovem atriz, que aos seus 27 anos é uma das maiores estrelas de Hollywood da atualidade, Aronofsky pretende refletir exatamente sobre o quão "insaciável" a humanidade é.

"Isso é mais fácil de ver e se mostra muito mais evidente com a fama, porque você percebe que o ser humano acha que tem direito a tudo", pondera Lawrence, que, apesar amar o contato com os fãs, acha fundamental o respeito ao "espaço pessoal".

A personagem que ela interpreta na recém-lançada produção é uma mulher enclausurada em uma casa de campo junto com o marido, um escritor (Javier Bardem), imerso em uma crise de inspiração. Estranhos personagens - interpretados, entre outros, por Michelle Pfeiffer e Ed Harris - começam a invadir a casa do casal de forma inexplicável, em uma espiral de nefastas consequências.

"É a primeira vez que faço um personagem tão diferente de mim. Em outros papéis tive que acentuar diferentes facetas da minha personalidade, mas desta vez somos totalmente diferentes. É a primeira vez que tive que construir um papel do nada", explica.

Ela confessa que em alguns momentos chegou a se perguntar se era a atriz adequada para o papel, mas todas as perguntas desapareceram quando ela chegou à casa onde a história acontece e quando colocou o figurino.

Sobre Bardem, Lawrence só tem elogios. "Só de ver os trabalhos anteriores eu já sabia que não tem um momento sequer em que ele não seja completamente real. E também é muito doce... um autêntico cavalheiro", conta.

Já o diretor afirma à Efe que "Mãe!" é "exatamente o filme que ele queria fazer".

"Sempre soubemos o que estávamos fazendo. Queríamos empurrar os limites do que se espera no cinema. Sempre tentamos criar experiências diferentes e isso foi o que fizemos aqui, uma viagem numa montanha-russa muito diferente tudo", explica.

Ao mesmo tempo em que admite a influência de Buñuel na sua produção, Aronofsky defende que o surrealismo está presente no cinema há muito tempo.

"Nos 70, os meus heróis faziam filmes ultrarrealistas. Nos anos 80 e 90, outros dos meus heróis faziam filmes de fantasia. Ou seja, não é novidade usar alegorias ou metáforas para contar uma história", esclarece.

Para ele, se as pessoas sempre reclamam que todos os filmes são iguais, não é ruim quando alguém oferece algo diferente, neste caso uma atípica parábola sobre a voracidade do ser humano.

"O inferno são os outros", como escreveu o filósofo Jean-Paul Sartre? "Esse teria sido um bom título provisório para o filme!", responde Aronofsky, gargalhando.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
Cinema
Cinema
AFP
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
EFE
BBC
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
UOL Jogos
AFP
AFP
AFP
DW
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
Cinema
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
AFP
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
AFP
AFP
do UOL
AFP
Topo