Entretenimento

Redescoberta na China inscrição milenar que narra vitória da dinastia Han

20/08/2017 07h18

Xangai (China), 20 ago (EFE).- Uma equipe de arqueólogos chineses redescobriu na parede de uma falésia uma inscrição milenar talhada que revela importantes dados sobre um momento relevante da história da China, quando a dinastia Han venceu os hunos, informou neste domingo o jornal independente "South China Morning Post".

A obra foi criada pelo historiador Ban Gu no ano 89 d.C. nas montanhas Khangai da Mongólia central e se perdeu com o tempo, até que foi redescoberta por uma equipe de arqueólogos da Universidade da Mongólia Genghis Khan e da Universidade da Mongólia Interior da China.

Os investigadores disseram em um comunicado de imprensa que a descoberta poderia trazer nova luz sobre um ponto crítico na história da antiga China, quando a dinastia Han derrotou os hunos nômades.

O chefe da expedição, Chimeddorji, arqueólogo da Universidade da Mongólia Interior, disse que sua equipe conseguiu confirmar a descoberta após fazer uma trabalhosa pesquisa no local.

Os arqueólogas fizeram fotos da inscrição para determinar que significavam os caráteres escritos e os compararam com o texto dos registros históricos e viram que 220 dos 260 caráteres coincidiam.

O avanço poderia ter uma influência significativa nos estudos históricos e geográficos chineses, especialmente no campo das antigas relações sino-mongóis, assinalam os especialistas.

"Em primeiro lugar, confirma a exatidão dos registros históricos da dinastia Han relacionados com o texto de Ban Gu", disse Chimeddorji, acrescentando que agora se pode localizar "a situação exata da antiga montanha de Yanran e os movimentos dos hunos".

A vitória do general Dou Xian, que conseguiu expulsar os hunos da planície mongol, teve uma influência duradoura na história e na cultura chinesas, e terminou com séculos de conflito entre as duas civilizações.

O paradeiro da inscrição de Ban se perdeu com o tempo e, segundo explicou Chimeddorji, uma equipe de pesquisadores mongóis encontrou por acaso o que achavam que era a inscrição de Ban em 1990, mas nos anos seguintes, várias equipes da Mongólia e de todo o mundo tentaram refazer seus passos e não tinham conseguido até agora.

O projeto conjunto foi também o primeiro a envolver falantes nativos de chinês, o que significou que a equipe foi capaz de decifrar e corroborar corretamente o texto.
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Entretenimento

Topo