Topo

Entretenimento

Poeta espanhol Justo Jorge Padrón apresenta obra dedicada ao Cazaquistão

10/02/2017 19h18

Madri, 10 fev (EFE).- O poeta espanhol Justo Jorge Padrón apresentou nesta sexta-feira sua mais nova obra, a primeira antologia de poesia cazaque traduzida à língua de Miguel de Cervantes.

O livro "Antologia da poesia cazaque contemporânea" foi apresentado em Madri como parte das celebrações do 25º aniversário do estabelecimento de relações diplomáticas entre Cazaquistão e Espanha, que será comemorado no sábado.

"Para a celebração deste momento histórico entre nossos países, pensamos em ir à frente da política e nos estabilizar também na cultura", disse o embaixador cazaque na Espanha, Bakyt Dyussenbayev, que agrupou neste livro vários poemas de 50 autores cazaques dos séculos XIX, XX e XXI, que anteriormente tinham sido traduzidos em prosa.

"Foi um desafio muito complicado. Peguei poemas toscamente traduzidos ao espanhol e os adequei ao sistema hendecassílabo espanhol", explicou Padrón.

A obra também representa a primeira tradução de poemas cazaques ao espanhol, pelas mãos do primeiro poeta espanhol traduzido ao idioma cazaque.

"Este livro é dedicado ao público espanhol, para que se aproximem da nossa cultura, sempre muito ligada à história de nosso país", disse Dyussenbayev.

A ideia da obra surgiu do próprio Padrón, que apresentando o romance "Os círculos do inferno" em Astana se aproximou dos poetas e tradutores cazaques, que o fizeram se interessar pela literatura do país.

"Foi a tarefa mais árdua que tive em 50 anos de experiência como tradutor, mas acredito que tenha valido a pena. Os cazaques que entendem o espanhol e que leram a obra me disseram que consegui captar o espírito dos poemas", argumentou Padrón durante o evento.

A antologia foi apresentada pelo próprio autor, pelo embaixador Bakyt Dyussebayev e pelo diretor da editora Vitruvio, Pablo Méndez.

O evento, que foi patrocinado pela embaixada cazaque e pelas empresas Talgo, Maxam e Airbus Defence and Space, contou também com a presença de dez poetas cazaques presentes no livro de Padrón.

Justo Jorge Padrón foi agraciado com prêmios de reconhecimento internacional como o Fastenrath, da Real Academia Espanhola, o Prêmio Internacional da Academia Sueca da Língua, o prêmio Boscán e o Prêmio Europa de Literatura.

Mais Entretenimento