Entretenimento

Estreia de J.K. Rowling como roteirista é cheia de magia e emoção

18/11/2016 09h35

Sarah Yáñez Richards.

Londres, 18 nov (EFE).- A escritora J.K Rowling estreou como roteirista em "Animais Fantásticos e Onde Habitam", um filme que estreou nesta semana no Brasil e que, segundo o protagonista, Eddie Redmayne, mantém a "grande emoção" da saga Harry Potter.

Através de músicas místicas, toques de jazz, muita imaginação e ajuda de muitos efeitos especiais, a escritora, que vendeu mais de 400 milhões de livros da saga do jovem bruxo, acerta em cheio em um filme que atinge os primeiros fãs da história e crianças.

Com a nova aventura, de maneira sutil, Rowling cita temas como a arrogância política, o papel dos veículos de comunicação, a proteção de animais em perigo de extinção e a importância de se sentir empatia pelo próximo antes de julgá-lo.

Ao contrário dos filmes anteriores, o trabalho não relata uma história de um livro. "Animais Fantásticos e Onde Habitam" é um manual que fazia parte dos materiais de estudo de Harry Potter, Rony Weasley e Hermione Granger na escola de magia de Hogwarts.

Uma enciclopédia que elenca todos os animais mágicos, que Rowling publicou com o pseudônimo de Newt Scamander, nome do protagonista desta nova série de cinco filmes, que ocorre 60 anos de "Harry Potter e a Pedra Filosofal", o primeiro livro da saga.

Tanto os atores como o diretor do filme, David Yates, concordaram que o roteiro é uma obra literária em si própria.

"As descrições entre os diálogos eram muito complexas e delicadas, fazendo com que tudo ganhasse vida", destacou à Agência Efe Redmayne, encarregado do papel do introvertido Scamander.

Vencedor do Oscar por "A Teoria de Tudo", Redmayne também destacou o toque único de Rowling no roteiro através da combinação de gêneros como suspense, horror, comédia e romance, com "essa grande emoção que todos sentimos nos filmes de Harry Potter".

Yates, que já tinha trabalhado com o mundo mágico da escritora ao dirigir os últimos quatro filmes da saga cinematográfica de Potter, destacou que Rowling foi "muito generosa e autocrítica".

O diretor britânico revelou que a autora foi "muito receptiva" sobre suas anotações no roteiro, algo "incomum" se levada em conta o fato de ela ser uma superestrela da literatura.

"Fiquei surpreso com a delicadeza e modesta da escritora. Isso ocorre porque ela é bastante confiante para saber que um bom trabalho requer bastante revisão", disse Yates.

Com relação ao processo de criação de Rowling, Yates disse estar cativado com o "amor" que a autora tem com a escrita. "Ela não pode parar de escrever. Joanne tem o desejo de falar sobre os personagens e fazer a história avançar", afirmou.

"Joanne é imediata e seu processo de escrita é catártico. Pelo menos é minha impressão. Essa é sua maneira de canalizar todas as invenções que passam por sua cabeça", observou Yates.

"Animais Fantásticos e Onde Habitam" leva os espectadores ao Natal de 1926 em Nova York e acompanha a aventura de Newt Scamander, um bruxo britânico que carrega mais de 70 criaturas mágicas dentro de um compartimento secreto dentro de sua mala encantada.

"Amo Newt porque ele é único, um tipo de personagem idiossincrático, que não se dá muito em com as pessoas. Mas, quando está com suas criaturas, pelas quais é fascinado, você vê um outro lado dele. Essa justaposição me encantou", disse Redmayne.

Esses animais fantásticos são os responsáveis de levar os espectadores a um mundo cheio de cor, fantasia e magia, além de muitas travessuras nas ruas de Manhattan. Cada um tem sua própria personalidade, mas os que mais interagem no filme são: Pelúcio, uma mistura entre uma toupeira e um ornitorrinco com tendências cleptomaníacas, e Pickett, um troquilho - criaturas verdes parecidas com bicho-pau -, que não se separa de Scamander.

O bruxo britânico, em sua viagem a Nova York, encontra com Jacob Kowalski (Dan Folger), um trouxa (nome dado pelos bruxos aos seres não mágicos) que sonha em abrir uma padaria, e termina na casa de duas belas irmãs bruxas, Porpetina Goldstein (Katherine Waterston) e Queenie Goldstein (Alison Sudol).

"Esses quatro personagens formam um grupo com poucas habilidades sociais, mas que se apoiam nas qualidades dos outros. Assim, ressaltam outros aspectos de suas personalidades", disse Redmayne.

"Essa é uma das razões pelas quais Rowling se conecta com tantas pessoas. Há poucas pessoas que se sentem 100% aceitas na sociedade", concluiu o ator.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo