Topo

Entretenimento

China investiga "restauração" com cimento da Grande Muralha

Chinatopix/AP
Autoridades chinesas estão investigando obra com cimento na Grande Muralha Imagem: Chinatopix/AP

De Pequim (China)

22/09/2016 11h30

As autoridades da China anunciaram nesta quinta-feira (22) que abriram uma investigação para determinar responsabilidades nos possíveis danos causados em um fragmento da Grande Muralha por causa de uma "restauração" na qual foi pavimentada com cimento.

O portal de notícias Sina.com, um dos mais visitados do país, publicou recentemente fotos deste fragmento perto da fronteira entre as províncias de Liaoning e Hebei (nordeste), nas quais se aprecia o confronto estético entre a centenária infraestrutura e sua suposta reparação com cimento.

A Administração Estatal de Patrimônio Cultural advertiu em comunicado divulgado pela agência oficial "Xinhua" que examinará a veracidade destas imagens e, se existir danos na muralha, fará com que seus responsáveis assumam as consequências.

O fragmento da Grande Muralha em questão, situado no condado de Suizhong da província de Liaoning, foi construído durante a dinastia Ming (1368-1644) e, devido aos problemas de preservação que apresentava, se submeteu a uma restauração entre 2013 e 2014.

A Administração de Patrimônio chinesa reconheceu que aprovou na época os planos de restauração, mas acrescentou que enviou inspetores para avaliar o resultado dos trabalhos, assim como sua gestão e supervisão.

A publicação das fotografias nas quais se vê o resultado dessa reparação gerou polêmica nas redes sociais chinesas e provocou alarme entre os historiadores pelo possível impacto que possa ter sobre a estrutura da muralha.

O mal estado de conservação da Grande Muralha, um dos principais símbolos da China e declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1987, despertou uma grande preocupação popular no gigante asiático nos últimos anos.

Apenas 8,2% da muralha construída durante a dinastia Ming se mantém em bom estado, segundo alertou a Sociedade da Grande Muralha da China, uma entidade dedicada à proteção do monumento, em um estudo publicado em junho de 2015.

A erosão, o vandalismo e a falta de manutenção são os principais fatores que explicam esta deterioração.

Embora conhecida universalmente como Grande Muralha, esta construção é na realidade um conjunto de trechos de muro levantados em diferentes épocas, desde o século III a.C. até o final do XVII, e da qual se preservaram fragmentos que totalizam cerca de 8.000 quilômetros e correspondem principalmente à dinastia Ming.
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento