PUBLICIDADE
Topo

Britânica Mary Beard vence prêmio Princesa das Astúrias de Ciências Sociais

25/05/2016 08h17

Oviedo (Espanha), 25 mai (EFE).- A historiadora britânica Mary Beard, uma grande especialistas em Antiguidade, foi agraciada nesta quarta-feira com o Prêmio Princesa das Astúrias de Ciências Sociais 2016.

Beard, autora de livros como 'Pompéia, história e lenda de uma cidade' e responsável por várias séries para a "BBC" sobre o mundo clássico, foi considerada em 2014 pela revista Prospect Magazine como uma das pensadoras mais influentes do mundo.

Winifred Mary Beard (Much Wenlock, 1º de janeiro de 1955), cuja candidatura foi proposta pelo Grupo de Pesquisa "Deméter" da Universidade de Oviedo, é considerada uma das especialistas sobre a Antiguidade mais relevantes e uma das intelectuais britânicas mais influentes.

O júri concedeu o prêmio a Mary Beard "por sua sobressalente contribuição ao estudo da cultura, da política e da sociedade da antiguidade greco-latina".

Após se licenciar em Artes no Newnham College de Cambridge, fez doutorado em 1982 com uma tese sobre Cíceró e, ao comprovar que muitos de seus companheiros de universidade questionavam o potencial acadêmico das mulheres, Beard adotou um ponto de vista feminista.

Esta atitude foi muito importante em sua vida dado que assegura não poder compreender "o que seria ser uma mulher sem ser uma feminista".

O Prêmio Princesa das Astúrias das Ciências Sociais, que no ano passado foi dado à economista francesa Esther Duflo, está dotado com a reprodução de uma escultura de Joan Miró, 50 mil euros, um diploma e uma insígnia.

Entre os candidatos figuravam também o filósofo americano Michael Sandel e os sociólogos espanhol Manuel Castells e cubano Alejandro Portes, a escola infantl italiana Reggio Emilia e o economista espanhol Ramón Tamames.