PUBLICIDADE
Topo

Arqueólogos espanhóis encontram múmia de importante dama faraônica em Assuão

24/05/2016 13h42

Cairo, 24 mai (EFE).- Arqueólogos espanhóis descobriram a múmia de Sattjeni, uma dama da nobreza que era "a guardiã do sangue dinástico", na cidade egípcia de Assuão, explicou nesta terça-feira à Agência Efe o chefe da missão, Alejandro Jiménez.

A múmia de Sattjeni, "filha, esposa e mãe de governadores", segundo Jiménez, foi achada dentro de dois sarcófagos de madeira na necrópoles de Qubbet el-Hawa, no Vale dos nobres, que é escavada pela equipe espanhola desde 2008.

Esta dama da dinastia XII do Império Médio foi a mãe dos principais governadores de Elefantina, Heqaib III e Amaney-Seneb, que dirigiram a região entre 1810 e 1790 a.C.

O diretor do departamento de Antiguidades egípcio, Mahmoud Afifi, garantiu hoje em comunicado que Sattjeni era além disso filha do emir Sarenput II e "uma das principais personalidades da época".

Para Jiménez, a importância do achado -feito em 5 de março, mas anunciado hoje- está em que esta família estava "justo abaixo do faraó" Amenemhat III (1800-1775 a . C.) na hierarquia de Assuão.

A múmia tem o rosto coberto por uma máscara policromada, detalhou o arqueólogo espanhol.

Os sarcófagos, de madeira de cedro do Líbano, estão talhados e apresentam escrituras hieróglifas que permitiram identificar Sattjeni e datar a tumba.

O caixão interior se encontra em "bom estado de conservação", acrescentou em seu comunicado o responsável de Antiguidades egípcio. EFE

mv/++msr++

(foto)