Entretenimento

Compras de joias na América Latina aumentam apesar da crise

21/01/2016 20h20

Miami, 21 jan (EFE).- As compras de joias na América Latina aumentaram no ano passado, apesar da desvalorização das moedas locais e da crise, segundo números divulgados pela Jeweler's International Showcase (JIS), entidade que realiza em Miami uma das feiras mais importantes do setor.

Os organizadores da feira, cuja edição mais recente terminou no último domingo no Centro de Convenções de Miami Beach, preveem um aumento nas vendas de joias em contraste com a queda nas vendas de roupas e de produtos eletrônicos a latino-americanos que ocorreu devido ao fortalecimento do dólar.

A feira de joalheria de Miami Beach foi criada há mais de 35 anos com o objetivo de fornecer aos mercados de joias na América Latina, no Caribe, na Flórida e no sudeste dos Estados Unidos as últimas coleções às vésperas dos meses de maior atividade do setor.

"Nas últimas feiras, esperávamos ver um declínio nos mercados latino-americanos por causa da questão das moedas locais, mas aconteceu o contrário", explicou o vice-presidente da JIS Miami, Jordan Tuchband.

De acordo com ele, isso pode se dever ao fato de que os comerciantes latino-americanos têm a percepção de que podem conseguir uma maior variedade de produtos e ofertas em eventos como o de Miami.

As presenças mexicana e colombiana cresceram 49% e 41%, respectivamente, na edição de outubro da feira, que é a segunda mais importante do Hemisfério Ocidental, com participantes de diversas regiões do mundo com produtos de alta qualidade e um grande leque de preços.

A feira coincide com um dos melhores momentos para o setor do luxo na América Latina, que deverá crescer para um volume de US$ 26,5 bilhões em 2019, o que representa 88,8% a mais em relação ao ano de 2014, segundo dados da empresa de consultoria de mercados Euromonitor.

Embora por enquanto a presença latino-americana no setor do luxo, um dos menos afetados pela crise, seja de somente 4,4% se for levado em conta o conjunto da indústria global, o potencial de consumo da nova classe média latino-americana faz com que as previsões para o setor sejam cada vez mais interessantes.

Por este motivo, todos os olhos estão voltados às tendências de compra na JIS, em Miami, que segundo Tuchband é "ainda o melhor lugar para comprar joias na região".

"Quando se vê de uma perspectiva de negócio, levando em consideração a seleção, clareza, escala, preços e relações, tem muito sentido", acrescentou o representante da JIS.

A vice-presidente do Reed Jewelry Group na Reed Exhibitors - que produz os eventos da JIS -, Yancy Weinrich, estima que a presença de compradores latino-americanos continuará aumentando nas feiras devido à recuperação econômica da região e por um esperado arrefecimento do crescimento do dólar.

A JIS também apresenta em 2016 o JIS Exchange, um novo evento dentro da semana da joalheria de Las Vegas (EUA), que será realizada em junho.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo