Entretenimento

Slipknot sacode o Rock in Rio com seu heavy metal e suas máscaras

26/09/2015 02h19

Carlos A. Moreno.

Rio de Janeiro, 25 set (EFE).- O Slipknot, responsável pelo show de abertura do Metallica no Rock in Rio de 2011, ocupou merecidamente nesta sexta-feira o status de atração principal na atual edição do festival com um poderoso show de heavy metal e sua apresentação de grande impacto visual, que incluiu suas máscaras e outros efeitos.

A banda fundada em Iowa (Estados Unidos) em 1995 foi a maior atração do quinto dia da edição 2015 do Rock in Rio e fechou com chave de ouro uma noite de som pesado, que começou com o grupo latino-americano De La Tierra e na qual também se apresentaram Faith No More e Mastodon.

Além das já típicas máscaras com as quais se apresentam, os músicos do conjunto, que se identificam por números, sacudiram os 85 mil presentes na Cidade do Rock com vários efeitos especiais, além de muito fogo no palco.

Com uma apresentação pesadíssima e um vocalista carismático, que rapidamente ganhou o público, não demorou muito para que várias rodinhas de 'mosh' se abrissem no público, com os enlouquecidos fãs da banda pulando sem parar.

Esperava-se que a banda utilizasse o show para apresentar "5: The Gray Chapter", o álbum lançado pelo grupo no ano passado após seis anos sem novidades e do qual ainda está em turnê promocional. No entanto, o Slipknot aproveitou o espetáculo para repassar sua carreira e render novamente uma homenagem ao baixista Paul Gray, que morreu em 2010.

A banda liderada pelo mascarado Corey Taylor abriu sua apresentação com uma interpretação sem interrupção de "XIX" e "Sarcastrophe", os dois principais temas do último disco, e também incluiu no repertório "Devil in I", "AOV", "Killpop" e "Custer", do mesmo álbum.

Mas entre as 18 músicas apresentadas também estavam "Spit in Out" e "Wait and Bleed", sucessos do disco de estreia do grupo em 1999, Slipknot, e algumas das mais conhecidas de seus outros quatro álbuns, como "Psychosocial" (2008), "Vermillion" (2004) e "Duality" (2005).

O grupo encerrou sua apresentação com três músicas em homenagem a Gray começando por "Sic/nesses", composta justamente depois da morte do baixista, e terminando com "People = Shit" e "Surfacing", dos primeiros discos da banda.

Antes do Slipknot, a banda californiana Faith No More se apresentou no Placo Mundo, mas seu metal alternativo não entusiasmou tanto um público que compareceu à Cidade do Rock em busca de algo mais pesado.

Apesar da banda do vocalista Mike Patton, vestida toda de branco para um público uniformizado de negro, ter apresentado vários de seus sucessos, não teve a resposta esperada com músicas como "Epic", "Midlife Crise" e sua famosa versão de "Easy", do grupo The Commodores.

Coube a Patton o momento mais inusitado da noite, quando o vocalista tentou se jogar no público, mas aparentemente calculou mal seu salto e foi parar no fosso dos fotógrafos após a terceira música.

Já o Mastodon, um dos principais representantes da nova onda do heavy metal americano, agradou em cheio ao público presente e aproveitou sua apresentação para promover o disco lançado no ano passado, "Once More 'Round The Sun".

Das 13 músicas do set list, seis são do novo álbum, incluindo "Tread Lightly", "The Motherload", "High Road", "Chimes at Midnight" e "Halloween".

O encarregado de abrir as apresentações do Palco Mundo foi o grupo De La Terra, que conta com o guitarrista Andreas Kisser, do Sepultura, e outros músicos de alguns dos principais grupos de rock da América Latina. A banda surpreendeu ao apresentar um metal alternativo, pesado e agressivo com letras em espanhol e identidade própria.

"Somos a única banda latino-americana no Rock in Rio", foram as o palavras do guitarrista e vocalista argentino Andrés Giménez diante de um público que, inicialmente, estava reticente a uma banda desconhecida, mas que acabou se empolgando com sua música.

A banda nasceu em 2011 quando Kisser foi convidado a participar da apresentação do grupo mexicano Maná naquela edição do Rock in Rio.

A ideia de Kisser e do mexicano Alex González, baterista do Maná, foi apoiada pelos argentinos Giménez, guitarrista do grupo argentino A.N.I.M.A.L., e Flavio Cianciarulo (Sr. Flavio), baixista do também argentino Los Fabulosos Cadillacs.

O ponto alto da apresentação foi quando Kisser assumiu os vocais na versão de "Polícia", um clássico do Titãs, que levou o público ao delírio.

A edição 2015 do Rock in Rio começou na última sexta-feira e reúne a apresentação de cerca de 150 bandas e artistas ao longo dos sete dias de festival, que termina no próximo domingo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo