Entretenimento

Deep Web: o que se esconde no submundo da internet

12/08/2015 06h00

Amaya Quincoces.

Redação Central, 12 ago (EFE).- A internet profunda, ou "Deep Web", esse enorme espaço virtual que foge ao controle da Justiça convencional e que seria 400 vezes maior do que a internet comum, esconde um mundo de atividades criminosas que buscam anonimato, enquanto aumentam as práticas ilícitas.

Recentemente divulgado, um relatório da Trend Micro intitulado "Abaixo da superfície: exploração da Deep Web" revelou que mais de 25% das buscas entre a Deep Web e a internet padrão são com fins de exploração infantil e pornografia. Outro dado destacado pela empresa especializada em segurança online é o preço de US$ 180 mil cobrado por esses sites secretos para assassinar uma personalidade ou político.

Para obter informações desta rede inacessível através de navegadores comuns, como o Chrome e o Internet Explorer, e aparentemente invencível, a equipe da Trend Micro utilizou um sistema chamado Analisador de Deep Web (DeWa). O DeWa reúne as URLs ligadas à "Dark Web", a pior parte da "Deep Web", incluindo Tor, sites I2P (Invisible Internet Project) e os identificadores de recursos Freenet, para extrair dados relevantes vinculados a eles, como conteúdo, links e endereço de e-mail.

Este sistema também alerta sobre o aumento do tráfego de informação e seus sites, algo especialmente útil quando se buscam novas famílias de "malware", os softwares maliciosos destinados a invadir um sistema de computador alheio de forma ilícita.

As drogas brandas, especialmente maconha, são a mercadoria mais vendida neste ambiente online, que não é encontrado em buscadores tradicionais como o Google. Ao todo, 32% dos itens comercializados nas 15 maiores lojas da "Deep Web" têm relação com a cannabis. Em seguida aparecem produtos como Ritalina e Xanax, mais conhecido como Alprazolam, medicamentos pesados e de venda controlada.

Nessa terra sem lei, também é possível conseguir a cidadania americana. Sites especializados criam passaportes por US$ 5.900 (R$ 20.390).

A compra de uma conta roubada do eBay ou do PayPal em uma das lojas do submundo online custa US$ 110 (R$ 380). De acordo com o relatório, 34% das URLs ou endereços eletrônicos que contêm "malware" na internet do usuário comum têm conexões com a internet profunda.

O analista David Sancho, pesquisador da Trend Micro na área de "Deep Web", explicou à Agência Efe que, quando se fala do volume de atividade nesse mundo cada vez "mais popular" não se leva em conta apenas o total de páginas hospedadas, mas também o número de serviços ocultos. Eles podem disseminar informação ilegal ou proibida, como terrorismo e atividades da máfia, além de comercializar armas.

Segundo o relatório, a maior parte disparada das URLs da "Deep Web" está em russo (41.40%) e inglês (40.74%). Em português, há 1,25% das páginas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo