Topo

Livros e HQs

Escritora portuguesa Hélia Correia recebe o Prêmio Camões

Do Rio de Janeiro

17/06/2015 19h18

A escritora portuguesa Hélia Correia ganhou por unanimidade o Prêmio Camões, o de maior prestígio da literatura em língua portuguesa concedido pelos governos de Brasil e Portugal, conforme anunciou nesta quarta-feira (17) o Ministério da Cultura.

"Hélia Correia foi escolhida por unanimidade pela comissão do júri que se reuniu hoje na Fundação Biblioteca Nacional (FBN)", afirmou a pasta em comunicado, sem especificar a data de entrega do prêmio à escritora portuguesa.

Nascida em Lisboa, em 1949, Hélia Correia é uma das principais representantes da chamada "geração de 80" graças à sua prosa, que a levou a ser uma das escritoras de maior destaque em língua portuguesa das últimas décadas.

Apesar de ter se destacado principalmente com a prosa, a autora deu os primeiros passos literários no âmbito da poesia, o que a levou a publicar dois livros de poemas no início da carreira: "O Separar das Águas" (1981) e "O Número dos Vivos" (1982).

Formada em filologia românica pela Faculdade de Letras de Lisboa, Hélia nunca abandonou o gosto pelo tema, que acabaria marcando toda a sua obra.

Desde 1983, a escritora desenvolveu seu trabalho com poesia, dramaturgia e ficção, tendo algumas obras, como "Montedemo" e "Florbela", adaptadas ao teatro.

Entre suas publicações mais destacadas estão os romances "Soma" (1987) e "A Casa Eterna" (1991), além da coleção de contos "Vinte Degraus e Outros Contos", agraciado com o Prêmio de Contos Camilo Castelo Branco em 2013.

A autora foi escolhida de maneira unânime pelo júri, composto pelos escritores Pedro Mexia, Mia Couto, Affonso Romano de Sant'Anna e Antônio Carlos Secchin, e pelas professoras universitárias Rita Marnoto e Inocência Mata.

Com a concessão deste prêmio, a escritora passa a fazer parte de um seleto grupo de grandes nomes como Jorge Amado (1994) e os portugueses José Saramago (1995) e António Lobo Antunes (2007), entre outros.

O Prêmio Camões foi criado em 1988, em acordo entre Portugal e Brasil, com o objetivo de distinguir os autores que enriquecem a língua comum. A premiação contempla a quantia de 100 mil euros.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Livros e HQs