PUBLICIDADE
Topo

Alessandra Rosaldo e Eugenio Derbez dizem que, em casa, quem manda é ela

27/05/2015 21h34

Fernando Mexía

Los Angeles (EUA.), 27 mai (EFE).- O ator mexicano Eugenio Derbez afirmou nesta quarta-feira que forma "uma equipe muito boa dentro e fora da casa" com sua esposa, a atriz Alessandra Rosaldo, com quem voltará a trabalhar na segunda edição do Prêmio Platino e quem, confessou, é quem manda em casa.

O casal conversou com a Agência Efe na manhã de hoje na cerimônia de apresentação dos indicados a esses prêmios do cinema ibero-americano, que serão entregues em cerimônia em 18 de julho em Marbella, na Espanha, que Alessandra conduzirá junto com o jornalista colombiano Juan Carlos Arciniegas.

Derbez, que deu o tom cômico na cerimônia inaugural do Platino ano passado no Panamá, disse ter "uma surpresa, sobretudo para as pessoas da Espanha", que só serão reveladas durante a entrega dos prêmios.

O casal já trabalhou juntos em vários projetos, o último o filme "Não aceitamos devoluções" (2013), uma produção dirigida e protagonizada por Derbez, que "é quem sabe" na editoria de comédia na relação, admitiu a artista.

Alessandra não hesitou em afirmar, com um sorriso, que seu marido era muito mandão e apontou para ele quando perguntados sobre quem manda em casa, o que Derbez contemporizou.

"Em casa quem manda é ela. Quando fizemos meu filme 'Não aceitamos devoluções', pois o diretor era eu, ela tinha que me obedecer, mas em casa eu que obedeço, então era meio a meio, mas nos apoiamos muito na carreira. Damos um ao outro muitos conselhos. Fazemos uma equipe muito boa dentro e fora da casa", disse Derbez.

Ele contou, no entanto, que na cerimônia do primeiro Prêmio Platino ele acabou atrapalhando enquanto tentava ajudá-la a preparar sua apresentação. Alessandra fez a cerimônia grávida de seis meses e embora estivesse "um pouco cansada" se sentiu muito bem nos ensaios.

"Em nenhum momento senti esgotamento extremo, me sentia iluminada", assinalou a atriz, que em agosto de 2014 deu à luz a sua filha Aitana.

Derbez, no entanto, "estava muito preocupado de o parto ser antecipado pelo nervosismo, com tantos voos, o estresse".

"Em uma dessas se adianta e temos que correr, ou ela nasce no Panamá e temos uma menina panamenha, estava um pouquinho estressado, e um pouquinho mais nervoso pelos parentes e pela esposa do que por mim mesmo, então ficava muito preocupado de ela errar algo (na cerimônia)", assinalou Derbez.

O ator foi o primeiro a ganhar o Platino de melhor ator e é um defensor da importância destes prêmios do cinema ibero-americano, "que ainda estão dando seus primeiros passos, mas podem dialogar de igual para igual com o Oscar".

"Os filmes de Hollywood viajam por toda a América Latina. Já era hora de que termos prêmios para que nos conhecêssemos todos", explicou.

Quem falou nessa mesma linha foi a atriz mexicana Kate del Castillo, encarregada hoje de anunciar o Prêmio de Honra para Antonio Bandeiras na segunda edição destes prêmios.

"Nos unir como latinos é o que precisamos e plataformas como esta são o que temos que apoiar. Gostei muito de saber que seria Antonio homenageado, porque gosto muito dele, o admiro", afirmou Kate, que antecipou que tem nas mãos um projeto para o Netflix.