Entretenimento

García Márquez foi promotor do jornalismo 'tuiteiro', diz amigo do escritor

24/04/2015 22h21

Bogotá, 24 abr (EFE).- A Feira Internacional do Livro de Bogotá (Filbo) lembrou nesta sexta-feira a faceta jornalística de Gabriel García Márquez, qualificando-o de promotor de um estilo 'tuiteíro' de comunicação durante sua etapa à frente do jornal "El Comprimido", um breve periódico que circulou entre 18 e 23 de setembro de 1951.

"O que hoje vocês chamam de Twitter era a notícia para nós", assinalou Guillermo Dávila, conhecido como "O Mago" e co-fundador do jornal, no colóquio "O jornal que só durou seis dias", junto como diretor da Fundação Gabriel García Márquez para o Novo Jornalismo Ibero-americano (FNPI), Jaime Abello.

Dávila lembrou diversas conversas que teve com Gabo em que destacaram a necessidade de "economizar tinta, palavras, adjetivos e superlativos", o que tornava as matérias curtas e diretas, como pode se observar hoje no Twitter, a rede social de 140 caracteres.

Uma vez estipulada os parâmetros para a fundação do jornal, o futuro nobel colombiano perguntou ao Mago como fazer o veículo, ao que ele respondeu: "pequenino, pequeno e vespertino", lembrou.

Dávila tinha então umas economias e decidiu investir no projeto, que deveria substituir o "El Fígaro", um dos três que circularam então na cidade de Cartagena, no Caribe colombiano, e que tinha sido extinto.

"El Comprimido", nascido em uma época de forte censura, explicou Abello, tinha tamanho de "meia carta, com quatro paginas por edição e a pequena tiragem de mil exemplares", que eram distribuídos gratuitamente pelos dois criadores do jornal.

"Nem bem a tinta secava, já sujava a camisa e saía correndo, e entregava a todos que passavam", comentou o Mago.

Ele destacou que naquela época Cartagena "estava adormecida, pensava só em beisebol e nas rainhas de beleza", por isso Gabo tinha com o jornal "vontade de sacudi-la e dar um impulso político à cidade".

Dávila estava à frente da impressão, conduzia o linotipo, uma máquina que mecanizava o processo de composição do texto.

Abello destacou que García Márquez se movimentou muito "pela nostalgia de quando teve seu próprio jornal", o que só foi possível por ter um sócio e amigo em Dávila.

Esta edição da Filbo tem como convidado de honra Macondo, o universo mágico criado por Gabriel García Márquez e eternizado em "Cem Anos de Solidão".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo