Entretenimento

Morte de Galeano é perda para quem luta por região mais justa, afirma Dilma

Do Rio de Janeiro

13/04/2015 17h44

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (13) que a morte do escritor uruguaio Eduardo Galeano (1940-2015) é uma "grande perda" para todos os que lutam por "uma América Latina mais inclusiva, justa e solidária". Dilma afirmou que este é um dia triste para todos os latino-americanos, que perderam um dos "escritores mais importantes" do continente.

"Aos uruguaios, aos amigos e à nossa imensa família latino-americana, quero prestar minhas homenagens e lembrar que continuamos caminhando com os olhos no horizonte, em nossa utopia", disse Dilma em comunicado oficial.

Galeano morreu nesta segunda-feira em um hospital de Montevidéu, aos 74 anos, após uma luta contra um câncer de pulmão que já durava oito anos. Entre outras obras, o escritor uruguaio foi autor do livro "As Veias Abertas da América Latina" (1971), considerado referência para a esquerda latino-americana.

O último ato público importante do qual Galeano participou foi a inauguração da II Bienal do Livro de Brasília, em fevereiro de 2014.

"Que sua obra inspire um futuro melhor", diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também lamentou nesta segunda-feira a morte de Eduardo Galeano e expressou seu desejo de que a obra e o exemplo do autor inspirem um futuro melhor para a América Latina.

"Que sua obra e seu exemplo de luta permaneçam como inspiração para que possamos construir a cada dia um futuro melhor para a América Latina", disse Lula em comunicado.

O primeiro presidente de esquerda do Brasil afirmou, ainda, que a obra de Galeano "é referência para todos aqueles que lutam por uma América Latina mais desenvolvida, justa e integrada".

Despedida pública no Parlamento uruguaio

O velório de Galeano está marcado para esta terça-feira (14), das 15h às 22h, no Salão dos Passos Perdidos, no Parlamento uruguaio. Será uma despedida pública, para que todas as pessoas que desejarem consigam homenagear o escritor.

O Salão dos Passos Perdidos já recebeu o funeral de outras personalidades da cultura uruguaia, como o escritor Mario Benedetti, morto em 2009, e o artista plástico Carlos Páez Vilaró, falecido em 2014.

Por meio do ministro de Economia e Finanças do país, Danilo Astori, que assumiu o papel de porta-voz após o conselho de ministros nesta segunda, o governo uruguaio enviou suas condolências e seu pesar pelo falecimento "deste grande compatriota".

"Durante o conselho de ministros, tomamos conhecimento com muito pesar do falecimento deste grande compatriota e expressamos nossa condolência e nossa dor, em particular para seus familiares", disse Astori a jornalistas.

As informações sobre o enterro de Galeano ainda não foram divulgadas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo