Filmes e séries

Cinema e literatura brasileiras invadem Paris em grandes eventos culturais

De Paris

19/03/2015 11h00

Da literatura ao cinema, da história ao teatro musical, o Brasil ganha um notável protagonismo cultural nesta semana em Paris, onde inaugura como convidado de honra o Salão Internacional do Livro e acaba iniciar um ciclo sobre a cinematografia do país na Cinemateca Francesa.

A feira literária abrirá suas portas ao público nesta sexta-feira (20) para apresentar a produção brasileira e em particular a de 48 escritores convidados, entre eles alguns muito conhecidos, como Milton Hatoum, Paulo Lins, Nélida Piñon e Paulo Coelho, e outros emergentes, como Ana Paula Maia ou os quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá.

Até 23 de março, espera-se que compareçam ao encontro 200 mil visitantes, deles 30 mil profissionais.

Desde sua vista privilegiada, o Brasil quer revelar a rica produção intelectual contemporânea, junto com a diversidade cultural e a universalidade literária, que conta com figuras importantes como João Guimarães Rosa (1908-1967).

O Centro Nacional do Livro (CNL) e o Instituto Francês, entidades dependentes do Ministério de Exteriores da França, convidaram 30 autores, e o Brasil, representado pelos ministérios de Cultura e Exteriores e a Câmara brasileira do livro, levou os 18 restantes.

A lista foi elaborada conjuntamente, com a assessoria literária de Leonardo Tonus, professor da Universidade de Sorbonne, e da escritora Guiomar de Grammont, explicou à Agência Efe o diretor do CNL, Vincent Monadé.

Os selecionados vêm da história em quadrinhos, da poesia, do teatro, da história, do conto, do romance, do ensaio e da literatura juvenil; abrangem campos temáticos como a ecologia, a arquitetura, o urbanismo e a ciência, e pertencem a diferentes gerações.

Houve uma tentativa, além disso, de respeitar a paridade entre homens e mulheres e refletir a diversidade do território brasileiro, assim como sua valiosa e múltipla composição étnica, acrescentou Monadé.

Em 1998, o Brasil ocupou pela primeira vez o lugar de honra do salão, que em 2015 conta com duas cidades polonesas convidadas, Cracóvia e Breslavia, terá stands de 1,2 mil editores de 50 países e anuncia em sua agenda 4,7 mil sessões de assinaturas e 300 encontros.

Cinema brasileiro invade Paris

Coincidindo com a abertura da feira, o cinema brasileiro brilha também desde esta semana na Cinemateca Francesa, para apresentar o cinema mudo de Humberto Mauro e Mario Peixoto, as comédias dos anos 50 e o "Cinema Novo" dos anos 60.

A cinematografia marginal da década de 70 e os primeiros longas-metragens da jovem geração de cineastas, como Kléber Mendonça Filho e Juliana Rojas, completarão este périplo cinematográfico, que poderá ser percorrido até 18 de maio.

A viagem inclui, entre outras entrevistas uma mesa-redonda sobre a história do cinema nacional, com a participação de cineastas iniciantes, em 21 de março, e uma jornada de curtas-metragens no dia 22.

De 7 a 14 de abril será realizado o XVII Festival do Cinema Brasileiro de Paris, liderado por oito ficções inéditas em competição, sete documentários filmes igualmente inéditos e uma dupla temática de cinema e literatura, prolongamento do Salão do Livro.

Mas também no próximo mês, na vizinha Montreuil, a Maison de Cultura 93 de Bobigny estreará junto com o jornalista cultural Rémy Kolpa Kopoul "K-RIO-K", peça de teatro musical inspirada nos dourados anos 20 e 30 do país.

O Brasil nos festivais de cinema

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Roterdã - 21/1 a 1º/2 - 15 filmes nacionais

    O festival holandês teve uma verdadeira invasão verde-amarela. Entre os títulos, estão longas e curtas que revelam que a regionalização da produção rendeu bons frutos, como "O Touro", de Larissa Figueiredo; "O Fim de uma Era", de Bruno Safadi e Ricardo Pretti; "Ela Volta na Quinta" (foto), de André Novais. Felippe Barbosa leva seu novo projeto para encontros com produtores e compradores.

  • Imagem: Aline Arruda/Divulgação
    Aline Arruda/Divulgação
    Imagem: Aline Arruda/Divulgação

    Sundance - 22/1 a 1º/2 - 1 filme nacional

    Reunindo cineastas independentes de todo o mundo, o festival de Robert Redford tem influência grande no mercado dos EUA. "Sundance valoriza muito o storytelling, o roteiro bem trabalhado. Meus filmes têm muito isso. E em geral ganham mais atenção no mercado americano e menos na Europa", comenta Anna Muylaert, cujo "Que Horas Ela Volta?" foi aplaudido de pé na sessão de gala no último domingo (25).

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Berlim - 5 a 13/2 - 14 filmes nacionais

    Após uma participação reduzida em 2014, Berlim contará com um recorde de títulos brasileiros. "Sangue Azul", de Lírio Ferreira, abre a mostra Panorama. "Estou muito feliz. Berlim tem uma cara muito de 'Sangue Azul', pelo caráter do filme", comentou o diretor. Entre os curtas, está nosso único concorrente ao Urso de Ouro, "Mar de Fogo", de Joel Pizzini. Há ainda dois projetos no Mercado de Filme.

  • Imagem: Reprodução
    Reprodução
    Imagem: Reprodução

    Cannes - 13 a 23/5

    Desde 2008, com "Linha de Passe", o Brasil não envia representantes à competição oficial. Já nas mostras paralelas, o Brasil tem tido lugar garantido. Para este ano, as apostas ficam com "Sinfonia da Necrópole", de Juliana Rojas (foto); "Meu Amigo Hindu", de Hector Babenco; "A Família Dionti", de Alan Minas; e "O Homem que Matou Minha Amada Morta", de Aly Muritiba, que pode ser a grande surpresa.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Locarno - 5 a 15/8

    Locarno tem tradição de descobrir novos cineastas brasileiros e lançá-los ao mundo. Em 2014, além de uma seção especial para o Brasil, selecionou "Ventos de Agosto" (foto), de Gabriel Mascaro para a competição. Se não for selecionado para Cannes, "Sinfonia da Necrópole", que seduz pelo inusitado do musical em um cemitério, tem chance de integrar a competição ou mostras paralelas em Locarno.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Cinema
Colunas - Flavio Ricco
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Cinema - Imagens
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Roberto Sadovski
UOL Cinema - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Cinema
Roberto Sadovski
Cinema
Colunas - Flavio Ricco
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
Topo