Livros e HQs

Loucura narrada por Machado de Assis chega à França em quadrinhos

Divulgação
Ilustração para adaptação de "O Alienista" em quadrinhos Imagem: Divulgação

Paris (França)

13/12/2014 16h23

Fábio Moon e Gabriel Bá desembarcaram na França com a adaptação para quadrinhos de "O Alienista", inspirada em um conto sobre a loucura de Machado de Assis, um dos grandes escritores da literatura brasileira e do realismo latino-americano.

"O maior desafio foi respeitar o que acho que é a força do original, o engenho e a ironia no emprego das palavras, e transportá-lo à história em quadrinhos acrescentando uma camada visual à história", explicou à Agênca EFE Moon, roteirista do romance gráfico editado pela Urban Comics na França, o maior mercado da Europa.

Nesta edição, o destino de Simón Bacamarte, um obstinado cientista dedicado a decifrar as chaves da demência é descrito em 70 páginas.

Em Itaguai, no interior do Rio de Janeiro, Bacamarte funda a Casa Verde, onde interna os desequilibrados da cidade para estudar as várias dimensões da loucura.

O metódico doutor causa uma onda de medo e indignação ao começar a internar notáveis da cidade, a quem acusa de ter perdido suas faculdades mentais.

A espiral gerada por Bacamarte cria uma história em quadrinhos interessante tanto para "quem gosta de Machado e para que só quer um bom história em quadrinhos e nunca tinha ouvido falar do original", resumiu Moon, de 38 anos e amante de autores como Moebius, Cyril Pedrosa, Frederik Peeters, Gipi, Toppi, Emanasse e Hugo Pratt.

Moon escolheu o conto "O Alienista", escrito em 1882 por Machado de Assis (1839-1908), um clássico da literatura brasileira e latino-americana, porque tenta trabalhar com histórias que tenham "potencial para alcançar uma audiência mais ampla que só a brasileira", comentou.

E entregou os lápis a seu irmão gêmeo, que desenhou um livro em preto e sépia.

"Na França a história em quadrinhos tem muito boa recepção, boa leitura e boa discussão. Sinto que posso participar disso se meu trabalho for lido ali", explicou Moon, que considera que o universo brasileiro da história em quadrinhos nos últimos anos está crescendo e se diversificando.

"Durante muito tempo, os artistas brasileiros queriam fazer histórias em quadrinhos bem para crianças, de super-heróis ou 'underground'. Agora há todo tipo de quadrinhos, de tamanhos, extensões, estilos e vozes. É um grande momento para fazer quadrinhos no Brasil embora a maioria dos artistas não possam viver só disso", explicou.

Além disso, Moon acaba de terminar, junto com seu irmão, o álbum "Dois Irmãos", uma adaptação do escritor brasileiro contemporâneo Milton Hatoum, que descreve como a história em quadrinhos "maior e mais complexa" que enfrentou desde "Daytripper" (2010) e que será lançada no país em março.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Da Redação
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
Blog do Maurício Stycer
Página Cinco
Página Cinco
AFP
do UOL
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
Da Redação
Da Redação
Página Cinco
Da Redação
Da Redação
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
AFP
do UOL
Da Redação
AFP
Página Cinco
Página Cinco
AFP
Página Cinco
UOL Cinema - Imagens
Reuters
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Chico Barney
AFP
Página Cinco
BBC
Da Redação
Da Redação
Da Redação
Da Redação
Da Redação
Da Redação
do UOL
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
Topo