Topo

Entretenimento

Em plena Copa, Rio de Janeiro recebe première mundial de filme sobre Messi

02/07/2014 21h21

Aitor Álvarez García.

Rio de Janeiro, 2 jul (EFE).- O filme "Messi", dirigido por Álex de la Iglesia, que repassa a vida do astro argentino, teve sua première mundial nesta quarta-feira no Rio de Janeiro em meio a uma grande especulação e com a presença do co-roteirista, o ex-jogador Jorge Valdano.

Os produtores escolheram a sede da final da Copa do Mundo para exibir pela primeira vez um filme que, com encenações e depoimentos, apresenta aquele que foi escolhido quatro vezes o melhor jogador do mundo.

O filme narra a vida de Leo Messi desde que nasceu, em Rosário, cidade que foi set das filmagens junto com Barcelona e Buenos Aires.

No longa vários personagens que marcaram a vida do atacante comentam a trajetória do jogador enquanto tomam algo em um restaurante.

A mesa principal, situado no meio do restaurante, é formada por Johan Cruyff e Jorge Valdano, que, junto com seu filho, é o roteirista do filme. Os ex-jogadores de Real Madrid e Barcelona comentam quão maravilhoso Leo Messi é e discutem as bases de seu sucesso.

Cruyff diz a Valdano que "graças a Deus, Messi existe, porque se não ainda estariam falando de Maradona, o que é absurdo. E por isso não se deve comparar, mas aproveitar".

Em outra das mesas estão alguns companheiros do Barça, como Gérard Piqué, José Manuel Pinto, Andrés Iniesta e Javier Mascherano, que diz uma das frases mais célebres do filme: "Que lindo seria ser Messi por cinco segundos, só para ver a sensação".

Também há lugar para ex-companheiros seus no Newell's Old Boys, equipe onde começou a jogar bola. "Chegou um momento em que fazíamos tantos gols que diziam: 'bom, concorram entre vocês, entre o Newell's do primeiro tempo e o Newell's do segundo tempo'", lembraram a gargalhadas.

Não faltaram ao restaurante amigos de infância, professoras do colégio em Rosário, ex-treinadores, o técnico argentino Alejandro Sabella e jornalistas esportivos.

Além das conversas no restaurante, o filme usa imagens, entrevistas e gravações de arquivo, desde que Messi tinha quatro anos, para exibir a trajetória de um dos melhores jogadores da história do futebol.

Esses registros, muitos gravados em baixa qualidade, se misturam com outros de ficção, com atores. Elas se alternam dando dinamismo e realidade ao relato.

Os vídeos de uma criança muito baixinha dizendo como quer jogar com outros muito maiores roubam o sorriso do espectador, que em alguns momentos chega a sentir falta da aparição no filme de aspectos negativos da vida de Messi ou de sua relação com o Barcelona e a Associação do Futebol Argentino (AFA), entidades que colaboraram para a realização do filme.

O próprio jogador não participou do filme, nem chegou a assisti-lo, garantiu aos jornalistas o diretor-geral da produtora Mediapro, Jaume Roures.

"A presença de Leo teria alterado a estrutura do relato e não é um filme que tenhamos feito com ele ou a pedido dele, porque é muito difícil que o protagonista explique com objetividade sua vida, é melhor que isso seja feito pelos outros", disse Roures.

O diretor acrescentou que "o filme não contava e não tinha por que contar com autorização, além disso, foi mostrado à família como exibido hoje, mesmo assim colaboraram muito oferecendo informação".

A apresentação de hoje reuniu jornalistas de todo o mundo, principalmente argentinos e espanhóis, que estão no país por causa da Copa do Mundo.

Na entrevista coletiva, Roures comentou que buscava "um diretor que não fosse torcedor de futebol e Álex de la Iglesia era o ideal".

Ainda não foi definida uma data de lançamento comercial do filme, que deve variar em cada país. Em alguns locais estreará diretamente na televisão, segundo os produtores.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento