Entretenimento

"Hackers" que apoiam Governo Sírio pirateiam site da Forbes

14/02/2014 23h34

Los Angeles (EUA), 14 fev (EFE).- A revista "Forbes" confirmou hoje ter sido vítima de um ataque cibernético que revelou dados dos usuários registrados em sua plataforma de internet, ação que notificou às autoridades e que foi reivindicado por um grupo que se autointitula Syrian Electronic Army.

Os piratas, que dizem apoiar o Governo do presidente sírio Bashar al Assad, asseguraram que foram descarregadas as bases de dados com os milhões de nomes de usuários, e-mails e senhas gravadas em "Forbes.com", e publicaram uma amostra em sua conta no Twitter.

Em um primeiro momento ofereceram vender o conteúdo, embora posteriormente tenham assinalado que exporão a informação publicamente em uma página.

A "Forbes" emitiu um comunicado no qual certificava que tinha sido "alvo de um ataque digital" e que sua plataforma tinha ficado comprometida.

"Os endereços de e-mail dos usuários podem ter sido expostos", comentaram os encarregados do meio que recomendaram a seus assinantes que mudassem suas senhas "por precaução".

Esse mesmo grupo de "hackers" reinvidicou os ataques sofridos anteriormente por "The Financial Times", "The New York Times", "CBS" e outros meios.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo