PUBLICIDADE
Topo

Metaleiros cobrem Cidade do Rock de preto no reinício do RIR

19/09/2013 18h32

Felipe Kopanski.

Rio de Janeiro, 19 set (EFE).- Após um fim de semana inteiro dedicado ao pop e alguns necessários ajustes, principalmente em relação a sinalização, banheiros, segurança e ao contestado serviço médico, o Rock in Rio (RIR) reabriu os portões da Cidade do Rock nesta quinta-feira desta vez para fazer a alegria do público do heavy metal, caracterizado pela cor preta da cabeça aos pés.

Diferente dos três primeiros dias de festival, quando prevaleceu o multicolorido de um público visivelmente mais jovem, os metaleiros tingiram de preto os 150 mil metros quadrados do Parque dos Atletas para acompanhar o primeiro dia de "rock pesado", já que, ao contrário da última edição, essa reservará duas datas ao metal - a de hoje, encabeçada pelo Metallica, e a do domingo, com Iron Maiden.

Mesmo sendo um dia de semana e, o pior, com previsão de chuva, os roqueiros pareciam não medir esforços para acompanhar Sepultura + Tambours Du Bronx, Ghost B.C, Alice in Chains e o icônico Metallica - atrações escaladas para o palco Mundo -, além de República + Dr. Sin + Roy Z, Almah + Hibria, Sebastian Bach e Rob Zombie, do Sunset.

"Vim de Belo Horizonte direto para cá e não quero perder nada. Cheguei cedo para acompanhar as atrações do parque e me impressionei com o tanto de pessoas que havia na fila de entrada. Não existe cansaço para quem gosta de rock e hoje é o nosso dia. Pode chover até pedra", afirmou Marcos Vinícius Calixto, que voltará para Minas Gerais logo após os shows.

Além da indiscutível mudança de público, outra questão que chamou atenção dos presentes na reinicio do RIR foi a do serviço médico, questionado no início da semana pelo Ministério Público e que chegou a ameaçar a continuidade da 13ª edição do festival - a quinta em terras cariocas. Isso porque, a presença de mais "maqueiros" transitando entre os palcos também era notável.

"Não acho que houve falhas, mas hoje temos muito mais ambulâncias e macas à disposição do público. Mas, esse reforço não está relacionado ao dia do metal. Aliás, bem ao contrário. Hoje, como não há sol e não está muito quente, deveremos ter menos trabalho", declarou o enfermeiro Felipe Herrero.

"O pessoal do rock também é formado por pessoas mais velhas e que estão mais acostumadas a esse tipo de evento, além de quase não haver crianças por aqui hoje. Os casos que atendemos até o momento foi por pessoas que excederam na bebida antes de entrar ou que estavam na beira da grade, mas nada mais sério", completou o enfermeiro.