PUBLICIDADE
Topo

Versão vampiresca de "Don Giovanni" seduz São Paulo pela primeira vez

Cena da ópera "Don Giovanni", de Wolfgang Amadeuz Mozart, que tem sessões no Theatro Municipal de São Paulo nos dias 12, 14, 15, 17, 19, 21 e 22 de setembro. - Gabriel Novaes/Divulgação
Cena da ópera "Don Giovanni", de Wolfgang Amadeuz Mozart, que tem sessões no Theatro Municipal de São Paulo nos dias 12, 14, 15, 17, 19, 21 e 22 de setembro. Imagem: Gabriel Novaes/Divulgação

Em São Paulo

13/09/2013 17h20

A versão mais "vampiresca" da ópera "Don Giovanni", de Mozart, estreia em São Paulo em uma adaptação na qual o sedutor incorpora características do vampiro mais famoso da história, o conde Drácula.

O espetáculo, que faz parte da Temporada Lírica do Teatro Municipal, mostra ao público até dia 22 a essência de uma das obras mais aclamadas do músico austríaco, composta em 1787 e escrita pelo italiano de Lorenzo Da Ponte.

"Don Giovanni é uma das combinações mais perfeitas de texto e música da grande criação lírica. Acho que o humor e a sabedoria destes dois gênios se unem de tal forma que não é possível pensar em música sem texto, ou vice-versa", destacou John Neschling, diretor artístico do Teatro Municipal de São Paulo.

A figura de Don Juan, um conquistador que seduz as mulheres com a ilusão de falso casamento, mostra seu lado mais aterrorizante, como propôs o escritor italiano Alessandro Baricco em um ensaio escrito em 2003 e resgatado pelo diretor Pier Francesco Maestrini.

Neste espetáculo Don Giovanni, transformado em vampiro, seduz as mulheres para conseguir sua fonte de "vida": o sangue.

"Drácula e Don Giovanni posem um poder de atração magnética: ambos são fisicamente e mentalmente irresistíveis aos que os buscam. Isso provém da narrativa, mas vai além, e assume um ar de eternidade mítica", comentou Maestrini.

A Orquestra Sinfônica de São Paulo e o Coral Paulistano são os encarregados de pôr a música a esta nova versão do clássico, que conta com 17 intérpretes em cena.