PUBLICIDADE
Topo

Proenza Schouler alcança apogeu na passarela da NYFW com desfile encantador

11/09/2013 18h11

Mateo Sancho Cardiel.

Nova York, 11 set (EFE).- Revelação na moda no início de século XXI, a dupla americana Proenza Schouler tem traçado uma espetacular trajetória a cada coleção e na Semana da Moda de Nova York apresentou um desfile eclético e cheio de reviravoltas sugestivas que ofuscou o famoso Michael Kors nesta quarta-feira.

A dupla promissora da moda, formada pelo casal Jack McCollough e Lázaro Hernández encantou os fashionistas pela sobriedade na coleção passada. Desta vez eles encontraram inspiração nos anos 50, prometendo uma primavera de cortes levemente desajeitados e uma beleza sem igual.

Com pouco mais de 30 anos, os criadores de Proenza Schouler possuem uma personalidade que muitos veteranos gostariam de ter, como quando afirmam vestir "mulheres, e não jovens" em apologia da força feminina adulta.

Sapatos feitos de madeira japonesa, vestidos que valorizam a silhueta e casacos cheios de broches, zíperes, fivelas, e as cores azul e bege foram os pontos mais altos do desfile. A rigidez da coleção ressaltava à primeira vista, mas combinava perfeitamente com o toque de sensualidade dado pela dupla.

Essa dualidade entre a sobriedade e sensualidade dos looks conferiu à coleção um estilo soviético. Os estilistas brincaram bastante com volumes e "prints" que lembram a natureza: não florida, mas outonal. Um emaranhado de galhos secos decora o corpo das modelos, junto com decotes em "V", uma das grandes apostas da dupla.

O efeito hipnótico das linhas - também vistas nas coleções de Carolina Herrera e Marc by Marc Jacobs - serão definitivamente tendência na primavera de 2014, e foram usadas por Proenza Schouler com muito brilho dourado e preto.

Depois de muitos aplausos, finalmente surgiu a sensação de que, agora sim, a Semana de Moda transformou Nova York na capital da moda mundial.

Apesar de tantas críticas recebidas nesta edição da New York Fashion Week, Michael Kors provou mais uma vez também ser um autêntico mestre. Todos os looks propostos para a primavera-verão 2014 vistos na passarela, de vestidos aos biquínis são facilmente imaginados nas ruas, usáveis por qualquer pessoa, mas sem abandonar seu caráter distintivo.

Na aposta urbana de Kors, o estilista não esqueceu o que o impulsionou no mundo da moda: as bolsas. No desfile, foi capaz de combiná-las com qualquer estilo, embora o predominante tenha sido o chique informal, caracterizado pelo uso dos linhos, algodões em tons ocres e brancos.

A grande surpresa de seu desfile foi a presença das peles, que não combinam com o calor. O couro e a pele de cobra aparecem em saias, jaquetas e bolsas, o que já não acontece com os biquínis, claro, para os quais Kors imprimiu um astral "vintage" dos anos cinquenta.EFE

msc/jt/cd

(foto) (vídeo)