PUBLICIDADE
Topo

Obras inéditas de J.D. Salinger devem ser publicadas a partir de 2015

Morre aos 91 anos J.D. Salinger, escritor de "O Apanhador no Campo de Centeio", que vendeu mais de 60 mi de cópias. - AP
Morre aos 91 anos J.D. Salinger, escritor de "O Apanhador no Campo de Centeio", que vendeu mais de 60 mi de cópias. Imagem: AP

26/08/2013 17h59

Cinco obras inéditas do escritor americano J.D. Salinger serão publicadas a partir de 2015, anunciou Shane Salerno, biógrafo e diretor de um documentário sobre o misterioso autor de "O Apanhador no Campo de Centeio".

O jornal "The New York Times" publicou nesta segunda-feira (26) que Salerno soube por duas fontes ligadas a Salinger, "independentes e separadas", que o escritor esperava que os herdeiros publicassem pelo menos cinco livros, alguns totalmente novos e outros extensões de obras anteriores, a partir de 2015.

O filho do autor, Matthew Salinger, não deu declarações ao jornal sobre esses possíveis planos.

J.D. Salinger morreu em 2010 aos 91 anos após ter passado quase meio século recluso, o que faz com que a publicação de novas obras possa ter um impacto significativo no conjunto de sua obra.

A última obra que publicada foi "Hapworth 16, 1924" em 1965, que seria um livro e apareceu na revista "New Yorker" em formato de carta.

Salerno e David Shields escreveram uma nova biografia de Salinger, que chega às livrarias americanas no início de setembro, e o documentário de Salerno estreia dia 6.

De acordo com o "NYT", entre as obras de Salinger que podem ser publicadas está uma coleção, que se chamaria "The Family Glass" e acrescentaria cinco histórias novas a um conjunto de narrações anteriores sobre a família Glass, que já apareceu em "Franny e Zooey" (1961).

Outra coleção incluiria versões retocadas de uma obra conhecida, mas ainda não publicada, "The Last and Best of the Peter Pans" (1942), na qual aparece a família Caulfield, e que um dos membros, Holden, protagoniza "O Apanhador no Campo de Centeio" (1951), obra que elevou a Salinger à lista dos grandes escritores americanos.

Foi exatamente a enorme fama que esse livro deu a ele, misturada com a aversão à exposição pública, que levou Salinger a viver em reclusão em uma casa na pequena cidade de Cornish, no estado de New Hampshire, para onde mudou em 1953 e morreu quase seis décadas depois.