Entretenimento

Assentamento humano de quase 13 mil anos é descoberto no Chile

09/08/2013 18h27

Santiago do Chile, 9 ago (EFE).- Vestígios de um assentamento humano de 12.790 anos de idade foram encontrados por uma equipe de arqueólogos no Deserto do Atacama, o mais árido do mundo, no norte do Chile.

A descoberta foi feita em Quebrada Maní, próximo a Iquique, a cerca de 1.860 quilômetros de Santiago. De acordo com o jornal "La Tercera" são mais de mil artefatos, como pontas de projéteis, raspadores de pedra, facas, conchas marinhas, fornalhas e ossos de camelídeos com marcas de corte.

Os vestígios, segundo o paleoecólogo Claudio Latorre, um dos responsáveis pela pesquisa, indicam que "eram pessoas que dominavam a paisagem de forma incrível e que faziam trocas com outros grupos, podendo se deslocar do mar à cordilheira".

Apesar de o Deserto do Atacama ter sido há 12 mil anos seco como hoje, a intensidade das chuvas teria permitido a existência de recursos hídricos e, portanto, de flora e fauna em lugares como a Quebrada Maní, afirmam os pesquisadores de universidades chilenas e americanas. O trabalho foi publicado na revista "Quaternary Science Reviews".

O descobrimento ajuda a dissipar parte das dúvidas sobre a ideia que o povoamento do continente aconteceu no norte em direção ao sul, segundo os autores do estudo.

Essas dúvidas surgiram com o assentamento de Monte Verde, descoberto em 1975 e situado no sul do Chile, a cerca de mil quilômetros de Santiago e de uma antiguidade calculada em uns 14.420 anos, que o transforma hoje no mais antigo da América.

O assentamento de Quebrada Maní pode ser o primeiro de uma série de outros achados que podem ser descobertos pelas mãos de um modelo preditivo desenvolvido pela equipe do arqueólogo Calogero Santoro e o paleoecólogo Latorre, que estudam a região desde 2005.

O modelo, explicou Paula Ugalde, arqueóloga do Centro de Pesquisas do Homem do Deserto (Cihde), que também faz parte do projeto, e aproveita o conhecimento paleoecológico para aumentar a possibilidade de sucesso.

Isso através do rastreamento da evolução da presença de recursos hídricos em lugares que, como o Deserto do Atacama, permitem uma apropriada conservação de restos arqueológicos.

"O modelo consiste em estudar lugares onde exista potencial para a vida humana. Não se trata de determinismo ambiental, mas como o ser humano necessita destes recursos para subsistir, poderia escolher estes lugares dentro de uma gama de possibilidades", detalhou.

Calogero Santoro assegurou que, se o modelo preditivo funcionar como o esperado, devem encontrar evidência mais antiga que Monte Verde da presença humana nesta região da América.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo