PUBLICIDADE
Topo

Projeto espanhol leva aulas de violão para comunidade do Rio

27/03/2013 21h17

Rio de Janeiro, 27 mar (EFE).- O projeto Leãozinho, desenvolvido pelos espanhóis Ángel Carmona e Nuria Dillán, está permitindo que as crianças da comunidade Parada de Lucas, no Rio de Janeiro, aprendam a tocar violão pelas mãos de seus próprios moradores.

A iniciativa nasceu após uma visita que Carmona e Nuria fizeram em agosto de 2011 a essa comunidade da Zona Norte com cerca de 15 mil moradores para montar uma sala de informática com computadores doados.

Carmona passou três semanas no lugar e começou a dar aulas de violão quando, um dia, um dos moradores lhe contou que seu filho também sabia tocar o instrumento.

Quando Carmona, que apresenta um programa de rádio na Espanha, teve que retornar a Madri, este menino e seus amigos continuaram com as aulas, que beneficiaram cerca de 50 alunos de diferentes idades.

Os promotores do Leãozinho arrecadam dinheiro através de doações, subvenções e shows exclusivos de artistas espanhóis. Esta receita serve para pagar os professores e enviar violões e capas doadas.

O projeto faz parte das atividades da Ciacac, uma ONG que apoia o desenvolvimento de crianças e adolescentes na Parada de Lucas e entre cujas atividades também oferece aulas de espanhol.

Agora, Carmona e Nuria retornaram ao Rio de Janeiro com o cantor espanhol Jairo Zavala, mais conhecido como Depedro, que desde sábado deu a estes jovens aulas cujos resultados puderam ser conferidos em dois shows, um ontem na própria comunidade e outro hoje no Instituto Cervantes.

Em ambos, Depedro interpretou algumas canções de seu último álbum, "La increíble historia de un hombre bueno", e de outros trabalhos, acompanhado de seus novos alunos.

Além disso, as crianças mostraram suas aptidões ao interpretar uma música composta por um grupo de rock criado pelos jovens professores da comunidade.

Durante a apresentação "pudemos sentir o verdadeiro sentimento, a verdadeira resposta da Parada de Lucas", disse Carmona à Agência Efe.

"Foi a sensação de amar a música, de ver que na realidade a música pode mudar vidas", relatou.

Depedro, que interpreta no Brasil as canções de seu novo disco pela primeira vez, também descreveu a experiência como "inesquecível, que surge como um acidente feliz."

"Encontrei gente com um talento descomunal, eu vinha aqui para fazer um show e houve uma colaboração plena com os professores. Levo comigo muito mais que o que deixei aqui", declarou.