PUBLICIDADE
Topo

Pablo Neruda será exumado por especialistas no dia 8 de abril

O poeta chileno Pablo Neruda - AFP
O poeta chileno Pablo Neruda Imagem: AFP

Santiago do Chile

22/03/2013 16h00

O poeta Pablo Neruda será exumado no próximo dia 8 de abril no Chile para esclarecer as causas de sua morte em uma investigação que contará com a participação de 13 especialistas.

O juiz da causa, Mario Carroza, confirmou nesta sexta-feira que a exumação ocorrerá na segunda-feira 8 de abril como parte de uma investigação para saber as causa de sua morte, se foi realmente câncer, como se achava até agora, ou se Neruda foi envenenado pela ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

No entanto, os trabalhos preparatórios podem começar até 48 horas antes, no sábado dia 6 de abril, na casa museu de Isla Negra, a 125 quilômetros de Santiago, onde o Prêmio Nobel de Literatura 1971 foi sepultado.

"É uma medida que o tribunal toma com muita seriedade e muito respeito. Acho que é transcendental", declarou aos jornalistas o juiz Carroza, que disse que "está confiante que a causa de morte de Neruda será esclarecida".

O magistrado se reuniu nesta sexta-feira com especialistas do Serviço Médico Legal (SML), da Universidad de Chile e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, além de dois sobrinhos do poeta, Rodolfo e Bernardo Reyes.

O diretor do SML, Patricio Bustos, explicou que a perícia procura determinar o estado do câncer de próstata de Neruda no momento de sua morte e que também vai analisar se existem substâncias tóxicas em seus restos mortais.

Segundo o SML, o grupo de investigadores será composto por cinco especialistas do Serviço Médico Legal, inclusive o próprio Bustos, quatro peritos da Universidad de Chile e quatro especialistas internacionais.

Entre eles se encontram a toxicóloga americana Ruth Winecker e três espanhóis, o toxicólogo Guillermo Repetto, o cirurgião Aurelio Luna e o médico legista Francisco Etxeberría, que também participou da exumação do presidente Salvador Allende em 2011.

Além disso, haverá três observadores internacionais: o argentino Morris Tidball e a alemã Alexandra Manescu, do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, e a espanhola Mercedes Salado.

O diretor do SML, um organismo estatal que desenvolveu bastante experiência na identificação de desaparecidos durante a ditadura, disse que não descarta enviar amostras dos ossos de Neruda para o exterior se for necessário.

O advogado responsável pelo processo, Eduardo Contreras, disse que a possibilidade de as amostras serem enviadas para os Estados Unidos e a Europa demonstra "que estão trabalhando com seriedade em um caso que despertou a atenção de toda a opinião pública internacional".

Esta investigação judicial foi aberta em meados de 2011 por causa de uma queixa apresentada pelo Partido Comunista (PC), do qual Neruda fazia parte, depois que seu antigo motorista, Manuel Araya, denunciou que o poeta foi assassinado com uma injeção letal por ordem da ditadura.

Até então, a versão oficial atestava que a morte do poeta foi decorrente de um câncer de próstata.

O autor de "Vinte Poemas de Amor e uma Canção Desesperada" morreu no dia 23 de setembro de 1973, 12 dias depois do golpe de Estado de Augusto Pinochet, em uma clínica privada de Santiago, e nas vésperas de uma viagem que o levaria para o exílio no México.

Sua exumação acontecerá na segunda-feira porque é o dia em que o museu habitualmente fecha suas portas, e em seu jardim será montada uma tenda e serão utilizadas roupas especiais para proteção contra possíveis substâncias tóxicas no túmulo de Neruda.