PUBLICIDADE
Topo

Artista expõe em Nova York quadros pintados com as cinzas do pai

Reprodução do quadro "Douglas Throwell #10, 20 anos de idade" (2013), de Zefrey Throwell - Reprodução/gassergrunert.net
Reprodução do quadro "Douglas Throwell #10, 20 anos de idade" (2013), de Zefrey Throwell Imagem: Reprodução/gassergrunert.net

De Nova York (EUA)

22/03/2013 19h19Atualizada em 22/03/2013 20h21

O artista americano Zefrey Throwell levou sua provocação um passo além ao utilizar as cinzas de seu pai na elaboração de oito quadros para a exposição "Panic in the Chalk Cave", que poderá ser vista até este sábado (23) na galeria Gasser Grunert de Nova York.

"Inspirado pela devastadora experiência de ter perdido seu pai", o artista pintou oito grandes retratos "utilizando os restos incinerados" de seu progenitor, que "contêm rastros das metanfetaminas que acabaram com sua vida", explica a galeria em seu site.

Os quadros tentam relatar os diferentes períodos da vida de seu pai, de sua difícil infância até fugir de casa aos 15 anos, seus dias de hippie na San Francisco da década de 1960, como traficante de drogas na década de 1980 e finalmente sua morte por overdose aos 59 anos.

"A técnica de pintar diferentes momentos da vida de seu pai com suas próprias cinzas tem suas próprias qualidades materiais, captura o débil enfoque da memória", assegurou a galeria, que acrescentou que estes retratos "abraçam com amor e refletem o inevitável da catástrofe".

No ano passado, este artista estabelecido em Nova York já causou certa polêmica com "Ocularpation: Wall Street", uma mistura entre "performance e protesto inspirada no movimento "Occupy Wall Street".

Na "Ocularpation", o artista e outros 49 colaboradores se vestiram de executivos nas ruas do distrito financeiro nova-iorquino e tiraram a roupa até ficarem completamente nus para pedir "mais transparência em Wall Street".