PUBLICIDADE
Topo

Obama diz que alguns ataques cibernéticos são patrocinados por outros países

13/03/2013 12h34

Washington, 13 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou em entrevista divulgada nesta quarta-feira que alguns ataques cibernéticos contra infraestruturas e empresas americanas são patrocinados por outros países.

Em uma entrevista ao canal de televisão "ABC", Obama disse que foi detectado um "aumento progressivo" das ameaças informáticas.

Perguntado pelas declarações do presidente do Comitê de Inteligência de EUA, Mike Rogers, que disse há algumas semanas que a China iniciou uma guerra de ciberespionagem contra os Estados Unidos, Obama criticou a retórica belicosa.

"Sempre é preciso ter cuidado com as analogias à guerra porque há uma grande diferença entre se envolver em ciberespionagem ou ciberataques e, evidentemente, uma guerra", disse Obama.

"O que é absolutamente certo é que vimos um aumento constante das ameaças à segurança cibernética", afirmou o líder, que apontou que algumas são patrocinadas por outros governos.

"Algumas são patrocinadas pelo Estado. Algumas são patrocinadas simplesmente por criminosos", disse Obama, que pediu ao Congresso para tomar medidas para reforçar a segurança contra os ataques.

Obama afirmou que esses ciberataques causam bilhões de perdas pelos segredos industriais subtraídos, o que pode pôr os Estados Unidos em uma posição de "desvantagem competitiva" no mercado internacional, disse.

Nesse sentido, Obama afirmou que "deixamos muito claro à China e a alguns outros atores estatais que esperamos que sigam as normas internacionais e cumpram com as normas internacionais".

O presidente assinalou que houve algumas "conversas duras" sobre o tema com esses países e que continuarão dialogando sobre o assunto.

As declarações de Obama acontecem um dia depois que o diretor nacional de Inteligência de EUA, James Clapper, apresentou o relatório anual sobre ameaças contra os Estados Unidos em que a ameaça cibernética apareceu como uma das principais.

Obama se reunirá nesta tarde na Casa Branca com um grupo de diretores de empresas para analisar como o governo e o setor privado podem trabalhar conjuntamente para melhorar a segurança de internet e as bases de dados suscetíveis de serem atacadas.

O presidente dos EUA assinou no mês passado uma ordem executiva para melhorar a proteção da infraestrutura nacional contra ataques cibernéticos.

A ordem executiva tem entre seus objetivos melhorar a troca de informação de segurança cibernética entre as empresas do setor privado e o governo federal.

Nessa oportunidade, Obama pediu ao Congresso que aprove em breve uma legislação que "dê a nosso governo uma capacidade maior para resguardar nossas redes e evitem ataques".

No mês passado, a empresa Mandiant, especializada em segurança na internet, publicou um relatório que indicava que boa parte dos ciberataques contra os EUA têm sua origem em uma unidade do exército chinês.

Os Estados Unidos reiteraram a necessidade de manter um diálogo contínuo com a China para desenvolver um entendimento do que é um comportamento "aceitável" no ciberespaço.