PUBLICIDADE
Topo

Suspeito de atacar diretor do Balé Bolshoi com ácido é detido na Rússia

Sergei Filin, diretor artístico do balé Bolshoi, deixa hospital em Moscou após ter sofrido um ataque com ácido que atingiu os olhos e o rosto, no mês passado - Misha Japaridze/AP
Sergei Filin, diretor artístico do balé Bolshoi, deixa hospital em Moscou após ter sofrido um ataque com ácido que atingiu os olhos e o rosto, no mês passado Imagem: Misha Japaridze/AP

De Moscou

05/03/2013 16h00

As forças de segurança russas prenderam nesta terça-feira (5) o suposto agressor de Sergei Filin, diretor do Balé Bolshoi de Moscou, que foi atacado no último mês de janeiro com ácido e quase perdeu a vista.

Segundo a agência "Interfax", que cita um porta-voz policial, o suspeito, identificado como Yuri Zarutski, de 35 anos, foi preso no distrito Romashovski, na região de Tver.

Além do próprio executor do crime, os agentes de segurança também prenderam outros dois suspeitos: o motorista Andrei Lipatov, que teria levado Zarutski ao local do crime, e um dançarino do Bolshoi por ter "intermediado" o crime.

"Na investigação do ataque contra Filin, os agentes da Polícia de Moscou registraram a casa do (suposto cúmplice) dançarino solista do Bolshoi Pavel Dmitrichenko", informou uma fonte policial à agência "Interfax".

Segundo os dados da Polícia, Dmitrichenko "atuou como um intermediário entre o que encarregou e o que executou o crime", completou a fonte.

De acordo com a página oficial do Bolshoi, Dmitrichenko, um dos solistas do teatro, ingressou no elenco em 2002. Em 2004, ele obteve o diploma do Concurso Internacional de Balé em Roma e, um ano depois, encerrou a carreira de professor de coreografia no Instituto de teatro Russo.

Atacado no último dia 17 de janeiro próximo ao seu domicílio, por um desconhecido que lhe jogou ácido no rosto, Filin sofreu graves queimaduras no rosto e, atualmente, se encontra na Alemanha em tratamento.

O diretor de uma das companhias de balé mais prestigiadas do mundo também já foi submetido a três cirurgias oculares em Moscou e, segundo os médicos russos, não necessitaria mais ser operado.

De acordo com dados preliminares da Polícia, a pessoa que atacou o diretor do Balé Bolshoi teria usado ácido sulfúrico, o que justifica a gravidade das lesões.