Entretenimento

P.T. Anderson, Malick e De Palma chegam como favoritos em Veneza

25/08/2012 08h11

Mateo Sancho Cardiel.

Redação Central, 25 ago (EFE).- Os novos filmes de Paul Thomas Anderson, Terrence Malick e Brian de Palma comprovam a supremacia dos Estados Unidos na 69ª edição do Festival de Veneza onde o Leão de Ouro também pode ficar com representantes de França, Rússia ou Japão.

Entre os dias 29 de agosto e 8 de setembro, a cidade italiana voltará a abrir seus canais às estrelas de cinema em uma edição que, a priori, tem uma competição menos sobrecarregada que outros anos, mas que entre seus 18 aspirantes ao Leão de Ouro estão alguns dos mestres mais relevantes do cinema atual.

Depois da Palma de Ouro por "A Árvore da Vida" em 2011, o outrora exíguo Terrence Malick - que agora tem até três projetos engatilhados - falará de amor em Veneza com "To The Wonder", protagonizado por Ben Affleck, Rachel Weisz e Rachel McAdams.

O diretor de "Além da Linha Vermelha" - com o qual conseguiu o Urso de Ouro em Veneza - tenta triunfar no único grande festival europeu que ainda não venceu, embora a concorrência seja dura, já que Paul Thomas Anderson surge como favorito com "The Master".

Tendo como chamariz a volta de Joaquin Phoenix ao cinema convencional - há dois anos apresentou em Veneza o falso documentário sobre sua suposta decadência, "I'm Still Here"-, este drama intenso conta também com Philip Seymour Hoffman e Amy Adams.

O trio de ases americano, embora com uma coprodução entre França e Reino Unido, é completado por Brian de Palma, que ganhou o prêmio de melhor diretor na última vez que esteve em Veneza com "Guerra Sem Cortes" e agora retorna com "Passion", com Noomi Rapace e Rachel McAdams.

Além dos três mestres, três ídolos adolescentes forjarão sua imagem adulta no festival: Zac Efron com "At Any Price", dirigida por Ramin Bahrani, e Vanessa Hudgens e Selena Gómez em "Spring Breakers", de Harmony Korine (roteirista do polêmico "Kids")

Depois dos Estados Unidos, a França é o país com mais presença em Veneza, pois leva dois diretores famosos - Olivier Assayas apresenta "Après Moi" e Xavier Giannoli chega com "Superstar" - mas também participa de cinco coproduções.

Por sua parte, o bloco asiático é representado pelo japonês Takeshi Kitano, com "Outrage Beyond", o coreano Kim Ki-Duk, com "Pietá", e o filipino Brillante Mendoza, com "Thy Womb".

O cinema russo, habitualmente bem recebido em Veneza - na última década ganhou o Leão de Ouro com "O Retorno", em 2003, e no ano passado com "Fausto" -, estará representado por Kirill Serebrennikov e seu "Betrayal".

Fora da mostra oficial, será possível ver ainda os novos filmes de Robert Redford, Spike Lee, Jonathan Demme e Manoel de Oliveira. EFE

msc/rsd

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo