Entretenimento

Escritor argentino ironiza declaração de ex-ditador sobre 8 mil mortes

16/04/2012 16h41

Marta Berard

Brasília, 16 abr (EFE).- O poeta argentino Juan Gelman disse nesta segunda-feira, com ironia, que o reconhecimento pelo ex-ditador Jorge Videla da morte de 7 ou 8 mil pessoas durante o período em que governou a Argentina no regime militar, de 1976 a 1983, é um sinal de "modéstia" do político.

"Acabo de descobrir uma virtude até então desconhecida do ex-general Videla: a modéstia, porque não foram 8 mil, mas 30 mil mortes", afirmou Gelman em entrevista à Agência Efe. Para o escritor argentino, que participa nesta semana da primeira edição da Bienal do Livro e Leitura de Brasília, as palavras de Videla sobre as mortes não o surpreenderam.

Em 1976, durante o regime militar da Argentina, Gelman, de 81 anos, teve seu filho e sua nora assassinados, além de uma neta desaparecida. O filho do poeta, Marcelo Gelman, foi assassinado após ter sido sequestrado, preso ilegalmente e torturado, enquanto sua nora, María Claudia García, que tinha 19 anos e estava grávida, foi sequestrada e detida junto com o marido, mas como foi transferida para o Uruguai, até hoje seu paradeiro não é conhecido.

Enquanto isso, a neta, Macarena, só foi encontrada pelo avô em 2000 vivendo com a família de um oficial militar uruguaio. Ao falar sobre as chamadas "leis do perdão", que livraram de responsabilidade os repressores argentinos, o escritor, hoje residente no México, destacou: "não conheço nenhuma vítima que tenha delegado a terceiros a faculdade do perdão".

Sobre o processo de criação poética, Gelman disse que, quando escreve, foge de si mesmo, e explicou que às vezes relê seus textos e não se lembra de nenhuma palavra. Além disso, o escritor classificou os escritores em dois grupos: o dos literatos perfeitos, como citou o também argentino Jorge Luis Borges, e os imperfeitos, para quem a literatura é a única forma de viver.

O poeta possui uma longa lista de prêmios, como o "Juan Rulfo" e o "Pablo Neruda". Gelman é autor de "Anunciaciones" (Anunciações, em livre tradução) e "Carta a mi madre" (Carta para minha mãe, em livre tradução), entre outros.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo