Topo

Entretenimento

Pequena empresa francesa consegue condenar Google por posição dominante

01/02/2012 14h31

Paris, 1 fev (EFE).- A filial francesa do Google Maps foi condenada pelo Tribunal de Comércio de Paris por abuso de posição dominante, após a denúncia apresentada por uma pequena sociedade de cartografia situada nos arredores da capital francesa, informaram nesta quarta-feira fontes judiciais.

A empresa Bottin Cartographes, situada em Suresnes, apresentou no final de 2009 a denúncia por considerar abusivos os serviços gratuitos de cartografia que o Google Maps oferece às empresas.

O tribunal, que publicou ontem sua sentença, condenou à empresa americana a pagar 500 mil euros por danos e prejuízos e 15 mil euros de multa.

O Google anunciou em comunicado que recorrerá da sentença, e detalhou que considera sua ferramenta de cartografia gratuita como "de alta qualidade e benéfica tanto para os internautas como para os proprietários de sites".

"A concorrência no setor é a cada dia mais real, tanto na França como em nível internacional", destacou um porta-voz da companhia.

Segundo a Bottin Cartographes, o gigante da internet oferece gratuitamente esses serviços com o objetivo de eliminar os demais concorrentes do mercado.

O presidente da Bottin, que emprega 22 trabalhadores, Michel Mani, garantiu à Agência Efe que a sentença "é um marco" e que recebeu felicitações de muitos colegas europeus.

"Quando há três anos uma pequena empresa como a nossa denunciou um gigante como Google muitos riram de nós", lembrou o diretor, ressaltando que "o importante não é o dinheiro, mas que se deixe de impedir a livre concorrência".

Mani frisou que "os internautas individuais poderão continuar utilizando Google Maps" já que sua denúncia se refere exclusivamente aos serviços a empresas.

"Se propusessem esses serviços gratuitamente, mas incluindo publicidade não haveria problema", acrescentou.

O pequeno empresário salientou a importância que a sentença do Tribunal de Comércio seja condenatória para o gigante americano, "o que prova que os juízes não levaram em consideração os argumentos do Google" que os apresentou "com uma atitude muito arrogante".

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento