Entretenimento

García de la Concha diz que Cervantes será visto como algo próprio na América

01/02/2012 14h31

Ana Mendoza.

Madri, 1 fev (EFE).- O filólogo espanhol Víctor García de la Concha disse nesta quarta-feira ao tomar posse como novo diretor do Instituto Cervantes ter certeza de que a instituição será vista "na América como algo próprio", e reafirmou "a imprescindível necessidade" de que a Espanha "forneça mais recursos para a política lingüística e cultural".

García de la Concha foi recebido pelos seis diretores que o Instituto Cervantes teve em seus 20 anos de história, pelos ministros da Educação, Cultura e Esporte, José Ignacio Wert, e das Relações Exteriores, José Manuel García Margallo, além de diversos representantes da Real Academia Espanhola (RAE), entidade que dirigiu de 1998 a 2010.

Na cerimônia, que aconteceu na sede do Cervantes e na qual muitos dos presentes demonstraram sua alegria pela nomeação de García de la Concha, o novo diretor destacou alguns dos desafios que a instituição tem pela frente, entre eles sua expansão pelos Estados Unidos e Brasil e países do extremo oriente como a China, Índia, Coreia e Japão.

Reforçar a presença do Cervantes "no espaço digital" é outro "desafio urgente" desse instituto, que deverá "buscar alianças com os grandes grupos de comunicação nessa área" e "ir além para formar uma frente comum que permita enriquecer esse grande patrimônio" que é a língua, disse o novo diretor.

A ex-diretora, Carmen Caffarel, agradeceu o trabalho feito por todos os que trabalham no Cervantes e o tornaram o "carro-chefe" da cultura em língua espanhola.

O ministro da Educação considerou como "reconfortante" ver que, "ao menos em uma instituição cultural tão vital como é o Cervantes para a Espanha e o espanhol, somos capazes de superar as diferenças de partidos".

Wert afirmou que "o Governo está decidido a promover o Instituto Cervantes como o carro-chefe de uma ação cultural coordenada, que dê à Espanha uma plataforma de visibilidade global e facilite algo tão importante como a ascensão internacional da cultura em espanhol".

O Governo quer integrar toda a política cultural "em uma ação transversal que coordene sua dimensão educativa, industrial e exterior", disse Wert, que, em momentos de cortes orçamentários como os atuais, indicou que "nenhum centavo será poupado para incentivar e fortalecer a marca" da Espanha.

Além de Wert, García Margallo agradeceu a Carmen Caffarel "pelo esforço enorme" feito nesses anos, e lembrou que o atual Governo é regido pelo "princípio da excelência" e que por isso quer que "os melhores" estejam em cada cargo.

"Tenho certeza de que com García de la Concha acertamos em cheio", ressaltou o titular das Relações Exteriores antes de se referir à "expectativa" que essa nomeação gerou "nos dois hemisférios" e às diversas personalidades que participaram da posse, entre as quais estavam o diretor da RAE, José Manuel Blecua, além de vários acadêmicos, políticos, escritores e editores.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo