Entretenimento

Concerto de Ano Novo de Viena recebe 2012 ao ritmo vital de Strauss

31/12/2011 09h57

Luis Lidón.

Viena, 31 dez (EFE).- A Filarmônica de Viena saúda neste domingo o Ano Novo ao ritmo de Johann Strauss no mais midiático dos concertos e com o maestro letão Mariss Jansons (Riga, 1943) no comando da orquestra na sala dourada do Musikverein.

No programa estarão valsas, marchas e polcas da dinastia mais conhecida da música clássica, com várias pitadas de atualidade com a presença de duas peças do compositor russo Pyotr Tchaikovsky (1840-1893).

Dentro do programa dominado por Strauss está uma homenagem à Presidência semestral dinamarquesa da União Europeia, que começa em janeiro, com o dinamarquês Hans Christian Lumbye (1810-1874), conhecido na época como "Strauss do Norte".

Os filarmônicos renderão tributo aos Jogos Olímpicos de Londres 2012 com a polca Albion de Johann Strauss.

A inclusão de duas peças de "A bela adormecida" de Tchaikovsky foi um pedido pessoal de Jansons, que dirigirá pela segunda vez o Concerto de Ano Novo, após dirigir os filarmônicos vieneses em 2006.

Parte do repertório foi escolhido pelo próprio Jansons, especialmente as peças de Strauss que foram executadas anteriormente em São Petersburgo, cidade de adoção do maestro letão.

A Filarmônica de Viena quis, como disse o seu diretor, Clemens Hellsberg, homenagear "a relação musical de amor" que mantém com Jansons, que em 2012 completa 20 anos da estreia com uma das melhores orquestras do mundo.

O diretor letão destacou o entusiasmo e o otimismo que gera a música de Strauss para o começo de um ano novo, uma época de "esperanças renovadas".

"É uma energia positiva imensa a que recebe o mundo através deste concerto", ressaltou, quem prometeu que dirigirá "com alegria e entusiasmo".

"Se hoje por diferentes razões se coloca em dúvida a Europa unida, o primeiro de janeiro também pode ser uma ocasião para olhar pra a história e refletir sobre as muitas guerras ocorridas no continente", disse à imprensa o diretor da filarmônica Clemens Hellsberg.

Outro aspecto inovador com relação aos anos anteriores é que pela quarta vez na história o coral de crianças de Viena atuará ao vivo em duas das peças do concerto.

O ponto álgido do concerto será, como sempre, o "bis" de cada ano: O "Danúbio Azul", a mais conhecida das valsas e a "Marcha Radetzky", de Johann Strauss pai (1804-1849), cujo ritmo o público acompanha com palmas, prévias ao aplauso final.

A TV pública austríaca "ORF" vai distribuir o concerto para 73 países e espera-se que 50 milhões de pessoas acompanhem o espetáculo ao vivo.

Para essa grande noite, a sala dourada da Musikverein, um dos templos musicais do planeta, receberá milhares de flores usadas de São Remo (Itália).

Uma das preocupações na imprensa austríaca foi sobre a frágil saúde do maestro letão que deve dirigir o concerto, quem neste mês cancelou duas aparições em Munique (Alemanha).

Jansons suspendeu várias vezes suas atuações nos últimos anos devido a problemas de saúde. Em 1996 ele sofreu um infarto enquanto dirigia a ópera "La Bohème".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo