Topo

Entretenimento

Unesco exalta Museu do Fandango pelo trabalho de preservação cultural

25/11/2011 12h00

Nusa Dua (Indonésia), 25 nov (EFE).- O Museu Vivo do Fandango e o fomento de projetos do programa nacional de Patrimônio Imaterial, ambos no Brasil, foram reconhecidos nesta sexta-feira pela Organização da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como duas das melhores práticas de proteção do patrimônio mundial.

Em uma reunião em Bali, na Indonésia, o comitê de analistas da Unesco elogiou o trabalho do museu, criado para preservar a dança e o canto Fandango, e destacou que essa pratica pode ser adaptada por outras expressões culturais em contextos similares.

O fandango é um gênero musical e uma dança popular das comunidades litorâneas do Sul e Sudeste do Brasil, com violões, violinos e percussão. O projeto de preservação da cultura fandanga é de responsabilidade da ONG Caburé, que reúne mais de 300 fandangueiros.

Os representantes brasileiros em Bali disseram que a ideia do museu é uma "iniciativa importante, que pode exemplificar uma colaboração envolvendo as comunidades e o Governo".

O comitê da Unesco reconheceu a tarefa do programa nacional de Patrimônio Imaterial do Brasil, que apoia ações de cuidado dos bens intangíveis na sociedade brasileira.

A função deste programa é criar laços entre as instituições e os diferentes atores civis para impulsionar, entre outros fatores, a inclusão social e a melhora nas condições de vida de criadores e artesãos.

Desde sábado, os membros do comitê da Unesco deverão avaliar 49 candidaturas para uma possível inscrição na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. EFE

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento