Entretenimento

Rússia lança agência internacional para fazer contraponto à visão ocidental

Agencia EFE

10/11/2011 00h18

Moscou, 10 nov (EFE).- A Rússia lançou nesta segunda-feira um ambicioso projeto de informação multimídia, com escritórios em mais de 30 países, com o qual pretende oferecer uma alternativa à visão ocidental das notícias e que será a versão para o exterior da agência oficial "Rossiya Sevodnia" (Rússia Hoje).

A nova marca, "Sputnik", é uma agência de notícias na internet com transmissões de rádio em 30 idiomas e será dirigida exclusivamente para audiências estrangeiras, disse o diretor-geral da Rossiya Sevodnia (antiga RIA Novosti), Dmitri Kiselyov, na apresentação do projeto.

A nova plataforma online sputniknews.com se baseia nos três sites da RIA em inglês, espanhol e árabe, e contará em dezembro com um serviço em chinês. Haverá redações multimídia em 34 países.

Kiselyov ressaltou que "Sputnik" é "contra a propaganda agressiva que alimenta atualmente o mundo unipolar, uma visão que é irreal". Por isso, "vamos divulgar uma visão mais multipolar, mais próxima em cada país de seus interesses, cultura e tradições".

"Achamos que o mundo está cansado da propaganda insistente de um mundo unipolar, está cansado de haver um país que se considera excepcional, exclusivo", em alusão aos Estados Unidos, e "vamos dar um ponto de vista alternativo", justificou o jornalista, considerado um dos ideólogos do governo do presidente russo, Vladimir Putin.

"Dizer o que outros calam" ou mostrar "o outro lado da notícia" são os "leitmotiv" da nova marca informativa russa no exterior.

Para levá-lo a cabo, a plataforma conta com redações regionais em 17 países do antigo espaço soviético e outras 17 em cidades de Europa, Ásia, Estados Unidos e América Latina (Buenos Aires, Montevidéu, Rio de Janeiro e México DC).

Além dos sites e das transmissões de rádio em 30 idiomas, a expectativa é que em 2015 alcancem as 800 horas diárias, a partir de estúdios em 130 cidades.

Cada escritório regional multimídia, onde haverá também centros de imprensa, tem entre 30 e 100 trabalhadores, indicou Kiselyov.

O custo do projeto não foi divulgado, mas Kiselyov garantiu que a Rossiya Sevodnia não aumentou seu orçamento estatal, e somente realizou uma redistribuição dos recursos.EFE

vh/cd

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo