Entretenimento

Google pede a Coreia do Sul que amenize leis de telecomunicações

Agencia EFE

08/11/2011 10h33

Seul, 8 nov (EFE).- O presidente-executivo da Google, Eric Schmidt, disse nesta terça-feira que pediu ao Governo sul-coreano que siga o exemplo de outros países e amenize as leis na internet.

"É a minha opinião, e acredito que também a da Google, que as normas da internet na Coreia deveriam ser mais abertas e modernas", afirmou Schmidt em entrevista coletiva na segunda-feira em Seul ao lado do presidente sul-coreano, Lee Myung-bak e o presidente da Comissão de Comunicações de Coreia (KCC), Choi See-joong.

Segundo a agência de notícias local "Yonhap", o presidente do Google elogiou a potente infraestrutura de banda larga do país e a difusão dos celulares, mas afirmou estar decepcionado com o aumento da regulação da internet na Coreia.

"Outros países mantêm políticas mais liberais sobre internet em alguns casos que a Coreia do Sul deveria considerar", declarou Schmidt aos jornalistas, sem mencionar normas ou regulações em especial.

O presidente da Google também revelou que entrou em acordo com Seul para voltar a vender no país os videogames da plataforma Android, que pertence à empresa americana, porém a data ainda não foi decidida

Em 2010, a Google teve de retirar de sua loja online na Coreia do Sul os videogames Android devido à lei que obriga a todos os jogos de dispositivo móvel serem avaliados por um organismo qualificado.

A empresa também entrou em conflito com o país em 2009, ao não acatar a regulação que obrigava os usuários do YouTube a usar suas identidades verdadeiras para postar vídeos.

As autoridades da Coreia do Sul possuem leis rígidas sobre a internet, tanto que o iPhone só chegou ao mercado sul-coreano com três anos de atraso, devido ao lento processo de autorização. EFE

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo