Topo

Entretenimento

Paris descobre José Medeiros e o Brasil dos anos 1950 e 1960

13/09/2011 17h28

Paris, 13 set (EFE).- O Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro e a Maison de l'Amérique Latine de Paris se juntaram para revelar a obra de José Medeiros (1921-1990), o pai do fotojornalismo no Brasil e grande figura da fotografia latino-americana do século XX.

A mostra sobre este artista da fotografia e do cinema será exposta na capital francesa até o dia 3 de dezembro, naquela que será a primeira retrospectiva de sua obra, explicou à Agência Efe a curadora Elise Jasmin.

Serão expostas 160 imagens procedentes do Instituto Moreira Salles, que em 2005 adquiriu a totalidade dos negativos originais de Medeiros, disse Elise.

Além disso, Paris irá apreciar a obra de Medeiros na Maison Européenne da Photographie até 13 de novembro, com uma exposição monográfica sobre uma reportagem feita em 1951 sobre o culto afro-brasileiro do candomblé.

Será uma oportunidade dupla de contemplar o trabalho de Medeiros, que a partir dos anos 1960 foi, além disso, fotógrafo dos grandes filmes do Cinema Novo e professor na Escola Internacional de Cinema e Televisão (EICTV), de San Antonio de los Baños, em Cuba.

Do trabalho de Medeiros, Jasmin ressaltou sua capacidade de "emprestar sua personalidade à fotografia jornalística", sua maneira de "privilegiar a luz natural" e também sua "relação extremamente profunda com os indivíduos que fotografava, mostrando sempre "sua grande empatia" com os temas abordados.

Era, além disso, um mestre do enquadramento, que tinha um "verdadeiro sentido de arquitetura", ressaltou.

"Fotografou muito o Brasil e suas raízes mais profundas, seus habitantes em regiões muito diferentes", desde os índios da Amazônia, as paisagens do interior do nordeste brasileiro, o culto do candomblé, e também o Rio de Janeiro, "popular e exclusivo ao mesmo tempo", com suas festas, seu carnaval, seus palácios e suas praias, acrescentou.

A exposição, organizada com a colaboração do especialista brasileiro Sergio Burgi, curador e coordenador do departamento fotográfico do Instituto Moreira Salles.

Autor de quase 20 mil fotografias, o "poeta da luz", como foi apelidado pelo cineasta Glauber Rocha, Medeiros nasceu em Teresina, e descobriu muito cedo sua vocação fotográfica, graças a seu pai, que aos 12 anos lhe ensinou as técnicas de revelação e captação de imagens.

Aos 18 anos se mudou para o Rio de Janeiro com a intenção de estudar arquitetura, sem nunca abandonar a fotografia, e do pequeno estúdio que montou em sua casa desenvolveu seu estilo e sua linguagem pessoal.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento