Entretenimento

Oito artistas internacionais vestem São Paulo de arte urbana

17/08/2011 16h34

São Paulo, 17 ago (EFE).- Mapas escondidos em uma escada no interior do museu, esculturas gigantes, vídeos, animações e pinturas em mural são algumas das propostas escolhidas por oito artistas internacionais para transformar nesta quarta-feira a cidade de São Paulo em obra de arte.

O objetivo da mostra chamada "De dentro e de fora", que estará exposta no Museu de Arte de São Paulo (Masp) até 23 de dezembro, é o de estabelecer o diálogo entre o público e as obras de arte.

Com ajuda dos curadores Baixo Ribeiro, Eduardo Saretta e Mariana Martins, o curador do museu e criador do projeto, José Roberto Teixeira Coelho, selecionou diversos nomes da arte urbana mundial com a intenção de mostrar um trabalho que tivesse grande plasticidade e que possibilitasse a interação com o público.

Os oito artistas que vieram de países tão diferentes entre si, como Argentina e República Tcheca, tiveram um mês para soltar a imaginação utilizando como tela as paredes de uma sala localizada no subsolo do Masp e também os muros da cidade de São Paulo.

O resultado foi um mural gigantesco pintado com giz, que mais parece um quadro-negro rabiscado por crianças que aproveitaram a saída do professor da sala, um muro em que se mistura pintura construtivista com grafite, passando por uma instalação na qual ursos polares estão vestidos de operários de uma linha de montagem que fabrica humanos.

O objetivo da exposição é "provocar no público a experiência de não saber onde está a arte. Pode estar em todas as partes, sob a escada, atrás do quadro ou dentro do buraco. Pode estar na sala de casa ou no meio da rua. Dentro ou fora do museu", segundo um comunicado da instituição.

A intenção é incentivar o diálogo do público com o mundo a sua volta, para que o museu passe a ser visto como um prolongamento das ruas e da cidade.

Em entrevista à Agência Efe, o artista argentino, Defi Gagliardo, que participa da mostra, explicou que uma das bases de seu trabalho é "pintar sem pensar" de modo que é a própria obra que se apodera do artista.

"Ninguém chegou com as ideias na cabeça, começamos a desenvolver aqui, fomos curadores de nossas obras", disse o artista, que explicou que foi configurando suas peças através de materiais que encontrou na própria cidade.

Gagliardo é o autor de um elaborado alto-relevo feito com peças de madeira que encontrou na rua, e relatou que inicialmente não tinha a intenção de transmitir nenhuma mensagem, mas acabou transformando a obra em uma espécie de "cápsula" que pode ser enviada ao espaço para relatar como se vive no planeta Terra.

O artista classificou a cidade de São Paulo como uma espécie de "Nova York do terceiro mundo", pois oferece a mesma carga de estímulos à criatividade como a cidade americana, mas carece de estrutura que facilite o trabalho do artista.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo