Entretenimento

Autor mexicano diz que espanhol não é língua articuladora da América Latina

02/08/2011 11h21

Santander (Espanha), 2 ago (EFE).- O escritor mexicano Jorge Volpi afirmou que o espanhol "já não pode ser considerada a língua articuladora da América Latina" por "conviver" com o inglês no México e na América Central, e com o português na América do Sul, onde o Brasil é "parte integral da realidade".

Na Universidade Internacional Menéndez Pelayo de Santander, na Espanha, Volpi destacou nesta terça-feira a necessidade de cunhar "novos termos" para definir a América Latina.

"A conclusão é que talvez já não devamos falar de América Latina, nem de região ibero-americana, teríamos que encontrar termos novos para falar dessa América do Sul provavelmente unificada no futuro, e desse México e América Central vinculados ao norte de maneira inevitável para os próximos anos", declarou.

O escritor insistiu na "impossibilidade" de manter a unidade da América Latina "como sonhou" Simón Bolivar há dois séculos e ressaltou que, apesar dos "ideais unificadores", após a independência das colônias espanholas o que triunfou foi "o modelo nacionalista".

Volpi considerou que a corrupção é "um dos principais problemas a ser combatido" na região e advertiu que o desaparecimento das guerrilhas "não acabou com a violência", além de lamentar que a relação entre os países "continua sendo limitada", apesar das novas tecnologias.

Em relação à cultura, o escritor opinou que na América Latina "continuam se repetindo fenômenos", como a "reconstrução do latino", criada nos Estados Unidos e, mais concretamente, em Miami, e um "isolamento" entre os diferentes países.

"É praticamente impossível que um leitor leia livros publicados em um país vizinho", sublinhou o escritor mexicano, para quem a "narcocultura" é um "modelo exótico" criado para "satisfazer" a visão ocidental da América Latina.

De acordo com Volpi, está acontecendo uma queda "inevitável" da influência dos EUA, inclusive no México, e da Espanha na América Latina, devido à crise econômica e à segmentação da região.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo